Vítor também enaltece trabalho do sistema ofensivo na recomposição
Vítor também enaltece trabalho do sistema ofensivo na recomposiçãoFoto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha

Dono da defesa menos vazada do Campeonato Brasileiro da Série C, com 13 gols sofridos em 19 jogos, e há quatro jogos sem ter o bloqueio furado, o Santa Cruz tem o sistema defensivo como trunfo para o jogo de volta contra o Operário/PR, no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, pelo mata-mata válido pelas quartas de final. Se o goleiro Ricardo Ernesto passar mais uma partida com as redes zeradas, o acesso à Série B será conquistado pelos tricolores, que, após a vitória por 1x0 na partida de ida, no Arruda, jogam por qualquer empate para cumprir o principal objetivo da temporada 2018.

Leia também:
Vítor revela desejo de ficar no Santa e relembra superações
Elenco valoriza empate e vê Santa forte na briga pelo acesso

Os jogadores que formam a defesa do Santa são experientes. O lateral-direito Vítor, de 36 anos, o zagueiro Danny Morais, 32 anos, e Allan Vieira, 28 anos, têm identificação com o clube. O trio foi titular na campanha do acesso à Série B em 2015 e também conquistou o Campeonato Pernambucano e a Copa do Nordeste em 2016. Além das referências, o goleiro Ricardo Ernesto, 31 anos, e o zagueiro Sandoval, 32 anos, completam a zaga. O camisa 1 coral, por exemplo, não tomou gol na Série C desde que assumiu o posto que era ocupado por Tiago Machowski, fora do time há quatro partidas.

“Estamos bem encaixados. Mas não podemos deixar de enaltecer o trabalho do sistema ofensivo. Às vezes, o foco é muito na defesa quando não se toma gol, mas a ajuda dos atletas do meio de campo e dos atacantes de lado é importante. São quatro jogos sem levar gol e espero que a gente mantenha isso no próximo jogo. Caso aconteça, garantimos o acesso”, comentou Vítor sobre a fase positiva da defensiva tricolor, em entrevista coletiva.

A consistência da defesa é uma das armas da equipe comandada pelo técnico Roberto Fernandes. Os bons números da zaga fortalecem a Cobra Coral para a decisão. “Quem acha que a vantagem é pequena, sabe que não vou me apegar a isso, mas é bom lembrar que não tomamos gols há quatro jogos e agora jogamos pelo empate”, declarou o comandante.

O sistema defensivo do Santa Cruz tem uma prova de fogo no próximo domingo (26), em Ponta Grossa. Isso porque o Operário/PR está invicto como mandante na temporada - 15 vitórias e três empates em 18 partidas (aproveitamento de 88,88%). Na Série C, são seis vitórias e três empates em nove partidas (77,77% de aproveitamento), com os paranaenses marcando gols em todos os confrontos.

“Não conheço o estádio deles. Só vi algumas imagens e vídeos. Por mais que a gente não conheça, sabemos da força do adversário dentro de casa. Tanto é que eles ainda não perderam lá. Eles têm total confiança diante da torcida. Temos a vantagem, mas ciente de que eles sabem jogar como mandante. No Arruda, o Operário já fez um grande jogo. Não vai ser moleza para nenhum dos lados, até porque agora os dois já se conhecem”, pontuou o veterano Vítor.

Sem o gol qualificado, qualquer vitória simples do Operário/PR a decisão vai para os pênaltis. Caso os paranaenses vençam por dois tentos de diferença, eliminam o Santa.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: