Constantino Júnior
Constantino JúniorFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

 

Para a temporada 2019, o discurso do presidente Constantino Júnior é o mesmo de quando assumiu o Santa Cruz em dezembro do ano passado: pés no chão para não extrapolar o limite financeiro. Com o clube em crise desde o fim de 2016, a folha salarial do elenco em 2018 foi enxuta. Mesmo assim, o aperto orçamentário provocou atrasos salariais recorrentes, mas o esforço redobrado da diretoria de futebol contornou os momentos de turbulência.

Sem desespero, Tininho prega seriedade para não tomar decisões precipitadas que venham atrapalhar o plano de gestão do Santa na temporada 2019.

“Primeiro é pensar no planejamento 2019, mas isso passa pela reestruturação do clube. Então a gente vai ter que parar por alguns dias de setembro, no começo do mês, e fazer o planejamento financeiro. Temos de fazer gestão. Se já fazíamos desde o início do ano, agora temos de ampliar. Tem de ser baseado pelo departamento financeiro e estratégico para que a gente possa encontrar soluções mais inteligentes. Então não adianta fazer loucura ou querer fazer algo fora da possibilidade. O momento é de serenidade e tranquilidade”, declarou o mandatário tricolor. 

Leia também:

Presidente do Santa promete pagar salários, mas pede ajuda 

Santa traça plano de pagamento individual para jogadores 

O futuro dos diretores e do executivo de futebol do Santa 

Juntamente com o departamento financeiro, a diretoria de futebol do Santa Cruz tem se reunido para traçar o planejamento da próxima temporada. Antes das definições, a prioridade é pagar os salários atrasados. O elenco está com uma folha em aberto (julho, que venceu no dia 15 de agosto), enquanto os funcionários não recebem há três meses (maio, junho e julho).

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: