Técnico Leston Júnior na entrevista coletiva, no estádio do Arruda
Técnico Leston Júnior na entrevista coletiva, no estádio do ArrudaFoto: Daniel Lima/Folha de Pernambuco

No mês passado, o técnico Leston Júnior detonou o estado do gramado do estádio Áureo Bradley, na cidade de Arcoverde, onde o Santa Cruz enfrentou o Flamengo de Arcoverde, no dia 23 de janeiro, e ficou no empate em 1x1, pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano. Na ocasião, o treinador criticou publicamente, em entrevista coletiva após a partida no Sertão do estado, as condições precárias da estrutura do palco de jogo. O fato gerou polêmica.

Leia também: 

Leston Júnior é absolvido por unanimidade pelo TJD 

Leston Júnior detona gramado do estádio Áureo Bradley 

Após as declarações mais contundentes, o treinador tricolor foi denunciado pela Federação Pernambucana de Futebol (FPF), que não gostou das críticas. Antes mesmo das contestações, Leston Júnior deixou claro nas entrelinhas que a opinião sobre o assunto era particular, mas a entidade ficou claramente chateada com os protestos. Por unanimidade, o profissional acabou sendo absolvido na sessão promovida no Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco.

Perguntado sobre a suspensão do atacante Pipico, que foi julgado na última quinta-feira pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco pela expulsão contra o Petrolina, pela quarta rodada do Estadual, o técnico Leston Júnior se esquivou do caso. O camisa 9 pegou um gancho de seis jogos. Como já cumpriu um deles de forma automática, ele ficaria de fora de mais cinco partidas e, assim, só retornaria nas semifinais do Campeonato Pernambucano.

“Não quero falar sobre o Pipico, até porque a situação dele envolve outros fatores. Então, vou aguardar a resolução do fato”, pontuou. Mesmo sem querer comentar sobre o assunto, ele voltou a ser questionado. “Quero sempre contar com todo e qualquer atleta, até porque é importante ter opções, principalmente quando se trata de um jogador com um ótimo aproveitamento como o Pipico. Ausências acontecem, algumas são controláveis e outras não”, emendou.

O desfecho do imbróglio judicial está previsto para sair até terça-feira (26). Para tentar recorrer, o Departamento Jurídico do Santa Cruz entrou com um pedido para conseguir um efeito suspensivo.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: