G.B.S.N, de 17 anos, deseja seguir os passos no futebol
G.B.S.N, de 17 anos, deseja seguir os passos no futebolFoto: José Britto/Folha de Pernambuco

Ações bem intencionadas aplicadas através do esporte possuem uma capacidade imensurável de transformar a realidade. Esse alcance viabiliza a integração de pessoas sem perspectiva em uma sociedade cada vez mais intolerante e individualista. A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) compreendeu a função social do esporte e promoveu a entrada do adolescente G.B.S.N, de 17 anos, enquanto estava em medida de internação no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Piripama, na base do Fut 7 do Santa Cruz. Clube e jogadores receberam o jovem de braços abertos nos treinos, que ocorrem duas vezes por semana no campo society anexado ao estádio do Arruda.

Leia também:
Programa Vida Aprendiz ressocializa egressos da Funase
Copas podem desafogar contas do Santa Cruz
Santa vence e se classifica na Copa PE
Santa começa troca de gramado do Arruda

O planejamento de reinserção social através do esporte na Funase permeia por projetos que estão diretamente atrelados ao atendimento socioeducativo. O programa Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer e atividades traçadas pelas equipes de cada unidade propiciam práticas esportivas aos socioeducandos. G.B.S.N ingressou na instituição no início deste ano e adaptou-se rapidamente no momento em que o futebol passou a fazer parte da sua rotina novamente, assim como era em Olinda nas partidas de pelada com os amigos.

Seu desempenho acima dos colegas chamou a atenção do treinador e agentes do Case Piripama. “Tivemos conhecimento do talento de G.B.S.N através do agente Leandro Aguiar, que treina os adolescentes voluntariamente. Profissionalização, saúde, cultura e lazer fizeram parte da rotina de G.B.S.N, e fazem parte da rotina dos nossos adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa”, disse o pedagogo Julio Scamaral.

A elaboração das metas nos atendimentos é norteada pelos planos do próprio adolescente. G.B.S.N manifestou o desejo de continuar jogando futebol e defender o clube de coração. Julio e o restante da equipe técnica da instituição articularam a oportunidade com o Santa Cruz, que prontamente ofereceu um teste no Fut 7. O nervosismo demonstrado minutos antes de entrar no campo foi colocado para trás quando colocou a bola nos pés. “Foi uma alegria muito grande. É a chance de mostrar meu futebol e jogar pelo Santa”, disse o jovem.

Treinador da Cobra Coral sub-17 no Fut7, Valcley Nascimento explica a importância de abrir as portas para quem precisa. “Estudei toda a minha vida com bolsa de estudos através do esporte. Eu era excelente jogador, mas nunca tive oportunidade em clubes. Graças a Deus, hoje eu faço o que não fizeram por mim”, destacou. Os rumos do mundo da bola são imprevisíveis, mas o técnico imagina que essa experiência deve contribuir na vida de G.B.S.N. “Tenho certeza absoluta que fiz alguma coisa por ele. Lá na frente, quando ele pensar em fazer algo de errado ou viver uma situação que não envolva o esporte, acho que isso deve ficar marcado”, enfatizou Valcley.

Ótimo comportamento, participação assídua na escola e nos treinos, além da presença em cursos profissionalizantes satisfizeram o poder judiciário, que permitiu a liberdade do adolescente. Dessa forma, a realidade de se tornar um jogador do Santa Cruz fica mais próxima, sem deixar os estudos de lado. “Quero seguir os passos no futebol e continuar estudando. Mas meu sonho é jogar pelo Santa”, declarou G.B.S.N. No momento, a torcida pelo jovem não está nos estádios, mas já conquistou alguns fãs de carteirinha. “Torcemos muito para que ele abrace de verdade todas as oportunidades que foram dadas durante o tempo que esteve conosco, e que tenha muito sucesso em todas as áreas de sua vida”, disse Julio Scamaral.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: