Itamar realizará seu primeiro trabalho em Pernambuco
Itamar realizará seu primeiro trabalho em PernambucoFoto: José Tramontin/OFEC

Em 105 anos de existência, o Santa Cruz tem cravado em parte de sua história um dito mais que popular entre a torcida tricolor: "Se não for sofrido, não é Santa Cruz". A frase não remete-se somente às partidas superadas pela Cobra Coral, mas, nesse contexto, também às dificuldades que o clube enfrenta diariamente. A chegada de Itamar Schulle ao Recife como novo técnico do Tricolor pode ajudar a repaginar essa história. Com uma missão oposta a que teve no Vila Nova, o treinador terá o desafio de ajudar o time a reencontrar seu espaço no futebol nacional. De sobra, o profissional abre caminhada no Arruda em meio a uma avalanche de problemas, já com o compromisso de colocar ordem na casa, inclusive sobre alguns detalhes que podem ser essenciais para uma boa campanha coral.

Faltando apenas o anúncio do Santa Cruz para ser oficialmente o novo técnico da Cobra Coral para a temporada 2020, Itamar Schulle desembarca no José do Rego Maciel sob pressão em dose tripla. Primeiro, pegar um time ainda em formação não é nada fácil, especialmente quando são apenas dois os acertos decretados do Tricolor até o momento, Pipico e Danny Morais, jogadores que tiveram o contrato renovado até no final de 2020. Embora o treinador de 53 anos tenha se envolvido no planejamento da equipe antes mesmo do término da Série B, inclusive contribuindo com nomes de reforços para o próximo ano- conforme revelado com exclusividade pela Folha de Pernambuco no dia 13 de novembro-, a preocupação sobre o andamento das contratações e da construção de um elenco consistente não devem ser minimizados. Assim como um quebra-cabeça, o técnico deve encarar uma tarefa ainda mais árdua: auxiliar o Santa Cruz a recuperar a confiança da torcida coral.

Ao longo dos anos, a massa tricolor além de apaixonada ficou conhecida também como uma "torcida paciente", que espera o melhor desempenho de seu time até o último segundo de jogo. De uns tempos para cá, no entanto, a calmaria deu lugar a uma relação desgastada com o clube, que este ano, precisa encontrar alternativas para fazer as pazes com as arquibancadas e, consequentemente, atrair a torcida de volta ao Arruda. A caminhada para a reconciliação pode ser justamente iniciada a partir de resultados alcançados por Schulle com o novo elenco.

De tantas outras pedras espalhadas no trajeto do Tricolor, a seca por títulos também é causa da fase atômica atravessada pela Cobra Coral, fator que aumenta a desconfiança e falta de perspectiva da torcida no clube. Bicampeão matogrossense com o Cuiabá no biênio 2018/2019, Itamar Schulle assume o comando do Santa Cruz em meio a um cenário de ressaca por boas campanhas no campeonato estadual e títulos - o último foi conquistado em 2016, após empate sem gols contra o Sport, na Ilha do Retiro -. Longe de ser esgotada, a demanda não para por aí.

O Tricolor vai disputar a Série C pelo terceiro ano consecutivo, sob a inadiável necessidade de deixar o penúltimo degrau do Campeonato Brasileiro e conquistar o acesso à Série B. Contudo, mesmo que sobre uma encruzilhada de contratempos, Itamar Schulle, que acumulou duas derrotas, seis empates e uma vitória à frente do Vila Nova, tem nas mangas a oportunidade de recontar a história do Mais Querido, traduzindo na beira do campo a grandeza de um clube que precisa mais do que nunca reviver seus melhores anos de glória.

Leia também:
Itamar Schulle chegará ao Santa com ‘lista de qualificação’ pronta
Kadu negocia saída do Santa Cruz
Stadium é o novo patrocinador master do Santa Cruz

veja também

comentários

comece o dia bem informado: