Itamar Schulle, novo técnico do Santa Cruz
Itamar Schulle, novo técnico do Santa CruzFoto: Leo Malafaia/Folha de Pernambuco

Depois de ser oficialmente anunciado como o novo técnico do Santa Cruz, Itamar Schulle desembarcou no Recife na manhã desta terça-feira (03) e deu sua primeira entrevista coletiva à imprensa, no estádio do Arruda. O catarinense, com passagem recente por Cuiabá e Vila Nova, respectivamente, falou dos desafios, dificuldades e da expectativa em comandar o Tricolor na próxima temporada.

"Estou muito orgulhoso, me sinto muito honrado e grato pelo convite que recebi do Santa Cruz, por esse desafio. Sei da responsabilidade a qual eu tô sendo chamado, mas me sinto honrado em vir para cá e fazer o melhor que eu sei fazer, que é trabalhar e dar o meu melhor em busca dos resultados", afirmou o novo comandante coral.

Depois da apresentação e agradecimentos, o treinador comentou que não chegou para "prometer títulos", mas, sim, para cumprir o objetivo de desempenhar o melhor trabalho à frente do Tricolor. "Sem dúvida a prioridade do Santa Cruz é sempre vencer, mas o acesso da Série C para a B é um dos fatores principais, principalmente para voltar daqui a pouco à Série A, onde o Santa por tantos anos esteve. Eu não vim aqui prometer títulos, eu vim aqui prometer o meu melhor trabalho e o melhor trabalho com todos juntos leva a conquista de objetivos, leva a títulos. É isso que nós vamos fazer aqui", completou. 

Itamar chega ao Santa Cruz em meio a uma série de dificuldades enfrentadas pelo clube, entre elas, a financeira e a desconfiança e distanciamento da torcida tricolor em relação ao time. Mesmo assim, o treinador não se mostrou pressionado, deu exemplo de sua trajetória em alguns clubes do Brasil, como o Novo Hamburgo/RS, Chapecoense, Operário/PR, Botafogo/PB e Cuiabá, que, segundo ele, assim como o Santa, também enfrentaram dificuldades financeiras no período de sua respectiva passagem por cada um. De quebra, disse que os contratempos não foram empecilhos para o profissional realizar um trabalho bem sucedido à frente dessas equipes.

Além disso, Schulle pregou união, inclusive, destacando a importância da reaproximação da torcida com o clube como uma das 'armas' capaz de possibilitar a reabilitação Tricolor em resposta à má fase.“Todo clube tem seus problemas financeiros. Como é que resolve? ‘trabalho e união em todos os setores'. Eu não posso estar unido com a minha comissão técnica e desunido com minha diretoria", alertou. "Se as coisas não deram certo no passado não é motivo para abandonar um clube que se ama. O que passou já faz parte do passado. Eu tenho é que contribuir com aquilo que vai acontecer daqui para frente. Se eu for olhar só o passado eu vou buscar muitas coisas negativas. Agora eu tenho que viver o Santa Cruz. A torcida é fundamental e temos que nos unir”, defendeu.

Características e tempo para trabalhar
Conhecido como um técnico cascudo e exigente, o catarinense de 53 anos dispensou a alcunha de ‘linha dura’ e exaltou a disciplina como meio de atingir as metas na Cobra Coral. “Eu não me considero um técnico ‘linha dura’. Aprendi uma coisa que não se treina, a ter caráter. No futebol tem que ter disciplina. Tem que ter horários para cumprir. Para mim não existe sorte. Então, trata-se de ser profissional para que os objetivos de todos venham a ser alcançados”, acentuou.

O Santa Cruz luta contra o tempo para não perder o compasso antes mesmo de iniciar o ano de 2020. Com apresentação do elenco marcada para o próximo dia 10 de dezembro, período que data o início da pré-temporada tricolor, o novo comandante terá que agir, também, como intermediador na construção de um elenco consistente e do pouco tempo de preparação que resta à Cobra Coral. Schulle, contudo, minimizou o curto período que terá antes de estrear com a equipe nas quatro competições que serão disputadas pelo Santa na próxima temporada. 

“No futebol brasileiro o que menos se tem é tempo. Uma das coisas que me fez vir para cá (Arruda) é a questão de várias coisas que estão sendo reformuladas, vários setores crescendo dentro do Santa Cruz. E, claro, isso vem também trazer vários recursos positivos dentro de campo para contratar um atleta. O tempo sempre é pequeno, mas quando você tem pessoas com capacidade para fazer essas contratações, como tem o Nei (Pandolfo), vamos conseguir montar um elenco e começar a trabalhar ele o mais breve possível, agregando sempre mais valor a esse grupo para que a gente possa começar o mais rápido possível”.

Ainda nesta terça, Itamar se reuniu com os dirigentes do clube para dar andamento à discussão sobre a chegada dos novos reforços que vão integrar a equipe tricolor no próximo ano.

Além de Cuiabá e Vila Nova, Itamar Schulle já passou por clubes como Chapecoense/SC, Figueirense, Brusque - clube pelo qual foi duplamente campeão do Campeonato catarinense, a primeira vez como jogador e a segunda como técnico -, Operário/PR, ABC/RN e Botafogo/PB.

Leia também:
Santa Cruz anuncia Itamar Schulle como novo técnico
Itamar Schulle chega em meio a desafios no Santa Cruz

veja também

comentários

comece o dia bem informado: