Maycon Cleiton, goleiro do Santa Cruz
Maycon Cleiton, goleiro do Santa CruzFoto: Rafael Melo/SCFC

A pandemia do novo coronavírus pegou até o mais cético de surpresa e, hoje, exige que a sociedade como um todo se reorganize. E organização, diálogo e alternativas são alguns dos desafios básicos que o futebol deve encarar ainda em meio a tanta indefinição. O debate sobre o cancelamento ou o retorno do Campeonato Pernambucano 2020 é um exemplo disso. Como uma das grandes personalidades do elenco coral neste início de temporada, o goleiro Maycon Cleiton opinou sobre o assunto, destacando não ser a favor do cancelamento do Estadual sem um campeão decretado.

Para quem se jogou de cabeça na "quarentena" e não lembra a data, que dia da semana é hoje, muito menos a situação da Cobra Coral na competição antes da suspensão dos jogos, pois bem: o Santa Cruz é o líder isolado do Estadual, com 22 pontos, invicto com sete triunfos e um empate, e já está garantido na semifinal do torneio.

"Foi algo que nós construímos através de um trabalho muito duro para conseguir a classificação direto para a semifinal e, o principal de tudo, para brigarmos pelo título. Então, fica um sentimento de: será que vai acabar? será que não vai? Torcemos muito para que não acabe e para que a CBF e a Federação Pernambucana vejam o que pode ser feito para que o campeonato continue", disse o arqueiro tricolor. “Ficaria uma coisa chata (caso o Estadual seja encerrado) pelo trabalho que a gente desenvolveu. Então, eu não sou a favor do fim do campeonato", acrescentou.

Leia também:
Em tarde de Maycon Cleiton, Santa e Bahia ficam no 0x0
Maycon Cleiton colhe frutos e se firma no Santa Cruz
FPF cogita cancelar Estadual caso competição não retorne até setembro

Maycon relembrou os conceitos passados aos jogadores em janeiro, uma vez que este ano pode ser chave para o Tricolor reencontrar o caminho dos títulos - já há três anos sem conquistar o Estadual; o último foi em 2016 - e, assim como em 2011, dar a volta por cima de alma lavada e com o acesso à Segundona na bagagem.

“Desde o começo da temporada sabíamos da importância que tem o ano, o que o clube precisa. Por isso, trabalhamos forte para conquistarmos o Pernambucano, para conseguir vaga no mata-mata da Copa do Nordeste e brigar por título também, e o principal que é o acesso (à Série B). Vamos de escadinha por escadinha, conquistando. Agora é torcer para que dê tudo certo e que esse momento passe”, projetou.

Antes da interrupção do Estadual, o matogrossense foi o único jogador a disputar todos os jogos com a camisa do Santa este ano. Ao todo, foram 17 partidas e 1560 minutos jogados, com 10 gols sofridos - um na Copa do Brasil, seis na Copa do Nordeste e três no Estadual - integrando a defesa menos vazada da competição local.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: