A-A+

Santa e Náutico duelam no primeiro Clássico das Emoções de 2020

Jogo entre tricolores e alvirrubros será disputado neste domingo (1º), às 16h, no Arruda, pelo Campeonato Pernambucano

Hereda, no Clássico das Emoções, nos AflitosHereda, no Clássico das Emoções, nos Aflitos - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Invencibilidade mantida ou encerrada por um rival. Liderança com folga ou ameaçada por dois pontos. Classificação antecipada à semifinal para um ou para ninguém. Juntos nas duas primeiras posições ou separados por aves que querem abocanhar uma vaga mais confortável na tabela. Um jogo, dois rivais centenários, três possibilidades de resultados e diversas consequências futuras. Cenários que marcam o confronto deste domingo, às 16h, no Arruda, entre Santa Cruz e Náutico, pelo Campeonato Pernambucano. O primeiro Clássico das Emoções em 2020.

O Santa é o líder invicto do Estadual, com 16 pontos, acumulando cinco vitórias e um empate. Já classificado para as quartas, um triunfo também colocaria o clube na semifinal da competição - o regulamento garante o benefício aos dois primeiros colocados. O Náutico, vice, com 11, não poderá matematicamente atingir o mesmo feito, mas um resultado positivo o deixaria bem próximo, além de acabar com a sequência de três tropeços consecutivos. O último encontro entre as equipes foi na Série C do ano passado. Nos Aflitos, os alvirrubros venceram por 3x1. O Timbu avançou à etapa de mata-mata, iniciando a caminhada rumo ao título da terceira divisão. Já o Tricolor amargou mais um ano sem conseguir o acesso à Série B.

“Todos os gols são importantes, mas no clássico tem um gosto especial. Pude viver isso já no ano passado e neste ano. Você sente que é algo a mais para a torcida. Espero fazer de novo, mas o mais importante é a vitória", disse o meia Jean, autor de um dos gols no último Clássico das Emoções e de um dos tentos que assegurou o triunfo do Timbu no Clássico dos Clássicos mais recente, contra o Sport.

A tendência é que o técnico do Náutico, Gilmar Dal Pozzo, mantenha a mesma base que empatou em 1x1 com o ABC, pela Copa do Nordeste. Uma possível mudança pode acontecer no meio-campo, com a entrada de Rhaldney na vaga de Djavan. Dal Pozzo, vale lembrar, não estará no banco de reservas, já que foi expulso na rodada anterior do Estadual, perante o Central. Sobre o adversário, o treinador salientou que a boa fase do Santa tem participação direta do técnico Itamar Schulle.

“Tenho amizade com Itamar. É um excelente profissional, de caráter, que faz bons trabalhos desde a Chapecoense, de 2012. Também foi bem no Cuiabá. Quando o Santa acertou com ele, eu disse que eles estavam trazendo um bom profissional e que o time seria competitivo. Para mim não é surpresa (desempenho do Tricolor no Estadual) pelo conhecimento que ele tem do futebol”, afirmou.

Com as lesões de Álvaro, Paiva e Matheus Carvalho, o Náutico não terá sua força máxima no setor ofensivo para o clássico. Problema que também acometeu o Santa. Com dores na coxa direita, o atacante Pipico, artilheiro do Estadual com quatro gols, ao lado de Diego Ceará, do Afogados, está fora do jogo. Victor Rangel deve ganhar mais uma chance ao lado de Patrick e Mayco Félix.

Na defesa, Célio Santos, também com dores na coxa, desfalca o Santa. O zagueiro era a alternativa de Schülle na lateral esquerda, onde atuou improvisado contra o Freipaulistano, na última quarta-feira. Após sofrer uma torção no tornozelo direito, o lateral-esquerdo Fabiano entrou em fase de transição, mas segue vetado. Chiquinho, recém-contratado, foi regularizado e está apto para entrar em campo, sendo a possível opção na posição.

O pouco tempo de descanso para o compromisso contra o Atlético/GO, na próxima quarta, no Olímpico, pela Copa do Brasil, também será crucial para definir a montagem do time para o clássico. “Vamos analisar caso a caso. Alguns atletas já conversaram comigo sobre o desgaste e alguns vão descansar para termos todos inteiros na quarta-feira, para passarmos à terceira fase da competição nacional”, apontou Schulle.

Ficha técnica

Santa Cruz

Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, William Alves,Chiquinho; Bileu, Paulinho (André) e Didira; Mayco Félix, Patrick e Victor Rangel. Técnico: Itamar Schulle

Náutico

Jefferson; Hereda, Diego Silva, Ronaldo Alves e Willian Simões; Luanderson, Djavan (Rhaldney) e Jean Carlos; Jhonnatan, Erick e Kieza. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Local: Arruda (Recife/PE)
Horário: 16h
Árbitro: Rodrigo Jose Pereira de Lima. Assistentes: Bruno Cesar Chaves Vieira e Humberto Martins Dias Silva
Transmissão: Premiere FC, Globo

Leia também:
Danny Morais minimiza cenário de 'revanche' no Clássico das Emoções
Jean Carlos pede desculpas por discussão e cita boas lembranças em clássicos
Náutico estreia contra Avaí na Série B 2020
Didira chama a ‘responsa’, desencanta no Santa e cita união do grupo

Veja também

Galo bate Fortaleza, Furacão passa pelo Flamengo, e times fazem final da Copa do Brasil
Copa do Brasil

Galo bate Fortaleza, Furacão passa pelo Flamengo, e times fazem final da Copa do Brasil

'Tudo é homofobia, tudo é feminismo', ironiza Bolsonaro sobre punição a Maurício Souza
Homofobia

'Tudo é homofobia, tudo é feminismo', ironiza Bolsonaro sobre punição a Maurício Souza