A-A+

Sede do surfe nos Jogos de 2024 será em Teahupoo

Embora a França tenha praias apropriadas para a modalidade, o COI optou por uma sede a 15 mil km do evento

Italo Ferreira na etapa de Teahupoo pelo CT 2019Italo Ferreira na etapa de Teahupoo pelo CT 2019 - Foto: Matt Dunbar/WSL via Getty Images

O Comitê Olímpico Internacional (COI) aprovou nesta terça-feira (3) a escolha de Teahupo'o, no Taiti (Polinésia Francesa), como sede do surfe nos Jogos Olímpicos de 2024. A ilha, localizada a 15,7 mil quilômetros da capital francesa, fica na Oceania, no oceano Pacífico, embora seja um território ligado ao país europeu desde o fim do século 19.

A distância é a maior entre o local de evento e a sede oficial dos Jogos na história olímpica. Antes, a marca pertencia a edição de 1956, quando o hipismo deixou Melbourne, na Austrália, para ser disputado em Estocolmo, na Suécia, uma diferença de cerca de 15,5 mil quilômetros.

A praia de Teahupo'o já recebe a etapa do Taiti do circuito mundial de surfe. Já e atapa da França acontece em Les Landes, que também concorria para sediar o evento em 2024. O comitê organizador, no entanto, já havia preferido a praia da Oceania em dezembro, faltando apenas a aprovação do COI. O surfe fará sua estreia em Jogos Olímpicos em Tóquio-2020.

Já os esportes urbanos (skate, escalada, breaking, ciclismo BMX e basquete 3 x 3) terão como palco a praça da Concórdia, a maior da capital francesa. O local se tornou histórico sobretudo durante a Revolução Francesa de 1789. Lá foi instalada a guilhotina e também ficou exposto o busto de Luís Filipe 2º, o duque de Orleãs, membro da realeza francesa, mas que simpatizava com o movimento revolucionário.

Também na praça está o Obelisco de Luxor, milenar estrutura egípcia de 23 metros de altura, oferecida aos franceses por Mehmet Ali, então vice-rei, em 1829 (seria instalado na praça cinco anos depois).

Veja também

Por 'comum acordo', regra que limita demissões de técnicos não inibe dança das cadeiras
Futebol

Por 'comum acordo', regra que limita demissões de técnicos não inibe dança das cadeiras

Com mudanças no meio e no ataque, Náutico encara a Ponte
Futebol

Com mudanças no meio e no ataque, Náutico encara a Ponte