Seis gols sofridos em dois jogos faz Oswaldo de Oliveira mudar zaga do Corinthians

O sistema defensivo em sido uma das prioridades do ex-treinador do Sport no clube paulista

DocumentosDocumentos - Foto: Divulgação/ Prefeitura de Olinda

A evolução do sistema defensivo que já foi marca registrada do Corinthians é prioridade do treinador Oswaldo de Oliveira em sua primeira semana completa para treinamentos. Nos dois últimos jogos, contra Cruzeiro e Flamengo, foram seis gols sofridos, o que gerou mudanças e conversas com o grupo de jogadores. Pedro Henrique e Vílson, apenas pela segunda vez, vão compor a zaga do Corinthians, que recebe a Chapecoense no próximo sábado (29). O paraguaio Balbuena, o mais assíduo entre os zagueiros do elenco neste Brasileiro, foi barrado. Vale lembrar que Yago, em razão de cirurgia, só jogará em 2017.

Em entrevista coletiva, o jovem Pedro, 21, frisou que Oswaldo tomou providências para reverter a maré ruim no setor. "Ele conversou com a gente sobre o sistema e acertou detalhes dentro do que vínhamos pecando. Creio que, daqui para frente, vamos crescer e melhorar para não tomar mais esses gols", disse o zagueiro novamente titular -ele estava suspenso contra o Flamengo. "O Oswaldo disse que o que estava ocorrendo era uma desatenção nossa. São falhas não só do sistema defensivo, mas de todos. Quando o time toma gol, todo mundo toma. Então ele conversou, falou para cada um o erro para se corrigir", completou.

Um dos pontos de maior preocupação é a bola aérea, principal caminho dos adversários para marcar nos últimos jogos do Corinthians. Na era Oswaldo, por exemplo, dois gols do Flamengo e dois do Cruzeiro surgiram em lances dessa natureza. Além de ser a defesa menos experimentada entre todas as combinações possíveis, Pedro e Vílson também têm a média mais alta de gols sofridos do elenco. Escolhidos por Oswaldo, eles só atuaram em Atlético-MG 2 x 1 Corinthians.
Confira o desempenho das duplas de zaga do Corinthians desde as saídas de Tite e do titular Felipe:

Balbuena e Yago - 15 jogos e 17 gols sofridos
Balbuena e Pedro Henrique - 8 jogos e 8 gols sofridos
Balbuena e Vílson - 4 jogos e 7 gols sofridos
Vílson e Yago - 1 jogo e nenhum gol sofrido
Vílson e Pedro Henrique - 1 jogo e 2 gols sofridos

Veja também

Para reagir na Série A, Sport busca surpreender Atlético/MG, no Mineirão
Brasileirão

Para reagir na Série A, Sport busca surpreender Atlético/MG, no Mineirão

Bahia, São Paulo e Vasco conhecem adversários da Copa Sul-Americana
Sulamericana

Bahia, São Paulo e Vasco conhecem adversários da Copa Sul-Americana