Sem fazer contas: Derley ignora matemática contra queda

Para o volante do Santa, o objetivo é pensar jogo a jogo e voltar a vencer urgente para encerrar jejum de sete partidas

Derley em disputa de bola com os jogadores do Vila Nova, pela Série BDerley em disputa de bola com os jogadores do Vila Nova, pela Série B - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A 16 rodadas do fim do Campeonato Brasileiro da Série B, o Santa Cruz ainda não faz o cálculo da pontuação contra o rebaixamento. Segundo o volante Derley, o elenco prefere não pensar na matemática e também evita projetar uma meta de pontos. Para ele, é trilhar o caminho passo a passo. Considerando a média das últimas edições da competição, o ideal é atingir, ao menos, 44 pontos. Ou seja, somar mais 21 (sete vitórias) dos 48 em disputa.

“Não dá para fazer contas de vitórias sem ganhar a primeira (partida). Já são sete jogos sem vitória. Temos primeiro que bater o ABC para depois pensarmos no Goiás. A missão é voltar a vencer. Claro que estamos cientes de quantos pontos precisamos, mas agora é pensar em ganhar para acabar com o longo jejum. A ideia chave é o jogo a jogo. Não adianta olhar para o futuro.”, declarou.

O cabeça de área coral reforça a necessidade de voltar a somar os três pontos na tabela de classificação. “O adversário também precisa da vitória e sabemos que não será um jogo fácil. Para nós, é uma decisão e vamos encarar com muita seriedade para sairmos vitoriosos”, alertou um dos líderes e mais experientes do grupo tricolor.

Os dois próximos jogos do Santa serão diante de adversários diretos na luta contra a queda: ABC/RN, que é o lanterna (20º colocado) da Série B, com 16 pontos, e Goiás/GO, primeiro time fora do Z4 (16º lugar), com 25. O duelo entre pernambucanos e potiguares está marcado para o sábado (9), na Arena das Dunas, pela 23ª rodada. Como perderam todas as partidas do mês de agosto, o objetivo dos corais é emendar uma série de vitórias para se recuperar e tentar se afastar da degola. A perspectiva é reagir o mais rápido possível.

“Teremos confrontos contra concorrentes diretos. Devemos buscar o mais rápido sair desta zona, e criar uma folga para a parte de baixo da tabela”, encerrou Derley.

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno