A-A+

Semenya vence em possível despedida da prova que domina

Sul-africana tem nível de testosterona acima do estabelecido pela IAAF e terá de se adequar para seguir competindo

Caster Semenya, corredora sul-africanaCaster Semenya, corredora sul-africana - Foto: Saeed Khan/AFP

Naquela que pode ser sua última prova nos 800 metros, distância que dominou nos últimos anos, Caster Semenya venceu. Nesta sexta-feira (3), a sul-africana de 28 anos triunfou na etapa de Doha da Liga Diamante.

É possível que tenha sido sua despedida por causa de uma decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) divulgada na última quarta (1º). O tribunal manteve o entendimento da Iaaf (Associação Internacional das Federações de Atletismo) de que mulheres com níveis elevados de testosterona não poderão participar das disputas de 400 metros a 1.500 metros.

Para essas provas de meia distância, ficou estabelecido um limite de 5 nanomols de testosterona por litro de sangue. Mas Semenya, por uma condição endócrina chamada hiperandrogenismo, produz naturalmente o hormônio em excesso. Como as atletas têm até o próximo dia 8 para se ajustar ao limite, a sul-africana pôde correr nesta sexta. Ela só poderá voltar a fazer isso se reverter a situação jurídica, tomar medicamentos para reduzir consideravelmente seu nível de testosterona ou se dedicar a outras distâncias.

Liberada para competir no Qatar, a favorita repetiu o domínio que lhe rendeu a medalha de ouro nos 800 metros nas duas últimas edições dos Jogos Olímpicos. Ela fechou a prova em 1min54s98, com vantagem tranquila sobre as concorrentes. A segunda colocada, Francine Niyonsaba (Burundi), outra com alta produção de testosterona, terminou a corrida em 1min57s75. Ajee Wilson (Estados Unidos) completou o pódio, com 1min58s83.

Leia também:
IAAF nega que considerará Semenya como 'homem biológico'
Doping: russa perde ouro, e Semenya será bicampeã olímpica

A marca obtida por Semenya em Doha foi melhor do que a registrada por ela em seus triunfos na Olimpíada de 2016 (1min55s28), no Rio de Janeiro, e no Mundial de 2017 (1min55s16), em Londres. Ficou acima, porém, do melhor tempo obtido pela corredora na temporada passada (1min54s25).

Veja também

Por manutenção na Ilha, partida contra o Fortaleza tem local alterado
Sport

Por manutenção na Ilha, partida contra o Fortaleza tem local alterado

Após eliminação na Série D, Milton Mendes deixa o Retrô
Futebol

Após eliminação na Série D, Milton Mendes deixa o Retrô