Serena estreia com vitória no Aberto da Austrália; Rogerinho avança

Tenista americana derrotou a suíça Belinda Bencic por dois sets a zero na estreia no Australian Open

Serena Williams teve vitória tranquila na estreia no Australian OpenSerena Williams teve vitória tranquila na estreia no Australian Open - Foto: Greg Wood/AFP

A americana Serena Williams estreou com vitória tranquila no Aberto da Austrália, vencendo a suíça Belinda Bencic em dois sets, 6-4, 6-3, nesta terça-feira em Melbourne.

No torneio preparativo de Auckland, primeira competição de Serena desde o US Open do ano passado, a número 2 do mundo havia sido derrotado logo em sua segunda partida, no confronto contra a compatriota Madison Brengle.

Williams, 35 anos e seis vezes campeã em Melbourne, dominou Bencic durante toda a partida. A suíça, promessa do tênis de seu país e que chegou a ser a 7ª tenista do ranking WTA aos 19 anos, vem sofrendo com repetidas lesões e parece estar longe da forma que a ajudou a derrotar a própria Serena em Toronto, em 2015.

Na segunda rodada, Serena terá pela frente a tcheca Lucia Safarova, outra ex-top 10 em queda livre no circuito (atual 61ª do mundo).

Já o Brasil teve sua primeira alegria no Aberto australiano.

Após as eliminações logo na estreia de Thomaz Bellucci (N.62) e Thiago Monteiro (N.83), só restava ao país um representante na competição, Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, que superou en cinco sets o americano Jared Donaldson.

Rogerinho precisou lutar muito para não dar adeus ao Aberto da Austrália, após sair perdendo por dois sets a zero antes de emplacar uma bela virada, 3-6, 0-6, 6-1, 6-4, 6-4, em três horas e cinco minutos de jogo.

Na segunda rodada, o brasileiro terá pela frente o francês Gilles Simon, 25º cabeça de chave e seu algoz na estreia em Roland Garros, no ano passado.

Veja também

Atletas russos foram os mais testados no antidoping para as Olimpíadas
Futebol

Atletas russos foram os mais testados no antidoping para as Olimpíadas

Proteger direitos será desafio para exibidores oficiais dos Jogos Olímpicos
Tóquio-2020

Proteger direitos será desafio para exibidores oficiais dos Jogos Olímpicos