Serena volta a pedir igualdade no esporte após Us Open

Na final do US Open, Serena Williams acabou perdendo um game inteiro após receber advertências do árbitro Carlos Ramos

Serena discutiu com o juiz Carlos Ramos, durante a final do US OpenSerena discutiu com o juiz Carlos Ramos, durante a final do US Open - Foto: AFP

Uma semana depois da final do Aberto dos Estados Unidos, a tenista americana Serena Williams voltou a falar sobre a polêmica por sua discussão com o árbitro Carlos Ramos e reforçou o pedido por igualdade no tratamento a homens e mulheres no esporte.

Em entrevista ao programa de televisão australiano "The Sunday Project", que irá ao ar na próxima semana e teve uma prévia das declarações revelada nesta segunda-feira (17), Serena contestou a primeira punição recebida, por ter recebido instruções de seu técnico durante o jogo.

"Ele [o técnico Patrick Mouratoglou] disse que fez um movimento, eu não entendo o que ele estava falando. Nós nunca trocamos sinais", disse Serena, sobre o comentário de seu treinador, que admitiu ter tentado, sem sucesso, o contato.
Leia também:
Serena Williams é multada após "piti" no US Open
Jornal australiano volta a publicar charge polêmica com Serena
Federação Internacional apoia árbitro em polêmica com Serena
Naomi Osaka vence Serena Williams e faz história no US Open

A primeira advertência recebida por Serena motivou o destempero da tenista, que na sequência ainda foi punida duas vezes por arremessar a raquete no chão e por ofender o árbitro. Ela perdeu um game em um momento crítico do segundo set e acabou derrotada por Naomi Osaka.

Ao final do jogo, Serena acusou "sexismo" por parte de Carlos Ramos e pediu tolerância igual de árbitros em relação ao comportamento de homens e mulheres em quadra. Na entrevista à TV australiana, ela reforçou o pedido.

"Eu simplesmente não entendo. Se você é uma mulher, você deve ser capaz de fazer, mesmo que seja só metade, o que um cara pode fazer", afirmou.

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno