Soares/Murray vence na estreia em Roland Garros

Dupla vem de um 2016 brilhante no circuito de tênis, com as conquistas do Aberto da Austrália e dos EUA

Quadras alternativas de Roland GarrosQuadras alternativas de Roland Garros - Foto: Roland Garros/Twitter/Reprodução

Em busca de seu primeiro título em Roland Garros, o brasileiro Bruno Soares estreou com vitória ao lado do britânico Jamie Murray na chave de duplas do torneio. A dupla, quinta cabeça-de-chave no saibro de Paris, venceu os sérvios Janko Tipsarevic e Viktor Troicki por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 7/6 (7-0), em uma hora e 11 minutos de jogo.

Soares e Murray vêm de um 2016 de brilho no circuito de tênis, com as conquistas do Aberto da Austrália e dos Estados Unidos. Porém, nesta temporada, a dupla falhou na defesa do título em Melbourne, amargando derrota na primeira rodada.

Em Roland Garros, Soares e Murray buscam o primeiro título da parceria após a derrota nas oitavas de 2016. Na próxima rodada, a dupla terá pela frente os vencedores do duelo entre os russos Karen Khachanov e Mikhail Elgin e a dupla formada pelo francês Benoit Paire e pelo belga Steve Darcis.

Feminino

Enquanto os homens seguem representando o Brasil no saibro francês, a chave feminina não tem mais nenhuma atleta nacional. Depois de furar o qualificatório, a paulista Bia Haddad Maia, de 20 anos, acabou eliminada pela russa Elena Vesnina, por 6/2, 3/6 e 6/4.

Esse foi o primeiro Grand Slam disputado pela jovem, que é a atual líder do ranking nacional. Em ascensão nesta temporada, Bia venceu 13 das últimas 15 partidas que disputou e, embora tenha saído derrotada na estreia da chave principal de Roland Garros, se disse satisfeita com a experiência adquirida.

"Comecei um pouco nervosa, ansiosa, a menina estava melhor do que eu. Eu só fui me soltar no final do primeiro set e entrei no jogo. Consegui mexer ela, que era o meu objetivo, e acabei ganhando o segundo set. No terceiro, ela começou muito bem, isso acabou fazendo a diferença para abrir a vantagem do início. Eu ainda lutei, fiquei no jogo, e foi uma pena. Não consegui usar bem o primeiro saque e isso me deixou a mercê no set. Sigo positiva, confiante que estou no caminho certo. Venho jogando em bom nível e sei que posso jogar contra qualquer menina do circuito", analisou Bia, que enfrentou uma top 15 do mundo. A brasileira é a atual 101ª do ranking, mas deve ganhar posições após as três vitórias do qualificatório e deve entrar na chave principal do Grand Slam de Wimbledon.

 

Veja também

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico
Futebol

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'
Opinião

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'