Santa Cruz

Sócios do Santa Cruz votam reforma do estatuto neste sábado (17); entenda o que pode mudar no clube

Votação acontecerá em ambiente virtual; resultado deve ser divulgado por volta das 21h

Estádio do ArrudaEstádio do Arruda - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Os rumos do Santa Cruz podem ser mudados a partir deste sábado (17). Trata-se, no entanto, de uma disputa fora das quatro linhas e que acontecerá em um ambiente virtual. A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de sócios contará com uma votação, ao longo do dia, que definirá a aprovação ou rejeição da Reforma do Estatuto do clube.

Por causa das restrições impostas pela pandemia da Covid-19, a votação acontecerá no ambiente virtual. A partir de um link que será enviado por e-mail, os sócios votantes poderão acessar a plataforma desenvolvida pela empresa Bisaweb, onde ocorrerá a votação. O endereço de e-mail será o mesmo cadastrado pelo sócio no Portal de Sócios – DNA Coral. Já a assembleia será conduzida pelo Zoom, em sala virtual com acesso aberto aos sócios. Mais de cinco mil pessoas poderão participar da votação.

A sessão começa às 9h30 e se estende até as 20h. Antes disso, a abertura da assembleia, bem como o credenciamento dos sócios para o início, acontece das 7h às 9h10.  Às 9h15, haverá uma votação que determinará o presidente da assembleia. Entre 20h e 21h serão apurados os votos.

A convocação oficial para a assembleia prevê que "não poderão ocorrer mudanças no conteúdo ou essência de qualquer norma do texto do Estatuto que está sendo levado para votação".

A reforma será aprovada caso uma maioria simples se posicione de forma favorável à matéria. Uma outra condição para a aprovação é que pelo menos um quinto dos sócios votantes opte pela reforma. Os resultados do pleito devem ser divulgados por volta das 21h deste sábado (17). 

 

O que muda em relação ao estatuto em vigor?
O novo estatuto apresenta mudanças em relação aos processos eleitorais que acontecem no clube. Entre os pontos abordados estão a abertura do direito ao voto a todas as categorias de sócios, a realização de eleições virtuais a partir de 2023, mudanças na distribuição de vagas no Conselho Deliberativo (chapas derrotadas na eleição presidencial poderão ter representantes no conselho), entre outras alterações.  

No primeiro capítulo do documento, que fala sobre a "natureza do clube" e aspectos relacionados à finalidade social da instituição, foi adicionado um artigo que prevê que os recursos do clube não podem ser distribuídos. “O Santa Cruz Futebol Clube destinará seus resultados integralmente à manutenção e ao desenvolvimento dos seus objetivos sociais e não pode distribuir qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas a qualquer título”, diz o segundo artigo. 

Sócios
O quadro de sócios, que antes contava com sete categorias, foi enxugado. De modo que os "sócios beneméritos" (título concedido pelo Conselho Deliberativo a pessoas com “serviços prestados”) deixam de constar no documento. No estatuto atual, há um parágrafo que prevê que alguns sócios "não terão competência para votar". Tal parágrafo foi removido na proposta de reformulação. O artigo 26 prevê “direito a voto na Assembleia Geral Ordinária os sócios de qualquer categoria que estejam adimplentes com todos os seus deveres”.

O novo estatuto também prevê que “sócios contribuintes, patrimoniais, proprietários e subscritores ficam sujeitos ao pagamento de uma contribuição mensal”. Antes, somente os contribuintes eram obrigados a pagar mensalidades. Entre os “direitos” do sócio, foi adicionado a garantia da “informação do número exato de sócios adimplentes” sempre que solicitado.  

Os poderes do clube
A reforma prevê também uma diminuição no número de poderes do clube, com as extinções da Comissão Patrimonial e do Conselho de Administração. Com isso, apenas a Assembleia Geral, Conselho Deliberativo, Comissão Fiscal e Executivo serão mantidos caso o novo estatuto seja aprovado. A nova redação também garante uma autonomia do Conselho Fiscal. 

O conselho deliberativo também sofrerá um enxugamento. Serão até 100 vagas para beneméritos e 200 vagas para os conselheiros eleitos. O estatuto em vigor previa um conselho com até 500 membros. Ainda, o novo estatuto prevê uma abertura em relação às reuniões (que poderão ter a participação de todos os sócios) e restringe a participação dos conselheiros beneméritos que “não terão direito a voto e à participação na Mesa Diretora” caso não sejam eleitos.

Mudanças nas votações
A proposta também prevê que o clube “poderá promover, desde que verificada um número significativo de sócios aptos a votar em determinada região, a instalação de zonas eleitorais em outras cidades, com destaque para as cidades do interior''. Além disso, o novo texto dá abertura para a realização de eleições virtuais.

Um novo dispositivo também prevê uma cota de 10% para mulheres inscritas de cada chapa que conseguir representação na formação do Conselho Deliberativo. O conselho também poderá contar com 40% de sua composição formada por membros de chapas vencidas.

Base
A reforma prevê a obrigatoriedade da criação de uma “Diretoria de Base” a cada gestão. 40% da arrecadação do Conselho Deliberativo deve ser destinado à diretoria em questão. A proposta ainda prevê que pelo menos 30% do elenco profissional no futebol deve ser formado por atletas da base do Santa. 

Uniformes
O estatuto em vigor define que o uniforme 1 do Santa Cruz é o tricolor com listras horizontais; o segundo, o listrado com listras verticais e o terceiro a camisa branca com listras no peito. Já a nova proposta mantém a camisa com listras horizontais como uniforme um, mas faz com que a branca seja a camisa reserva - ordem que é popularmente conhecida - e o terceiro uniforme passe a ser o coral com listras verticais.

Veja também

“Jogamos abaixo do nosso potencial”, lamenta Louzer
Futebol

“Jogamos abaixo do nosso potencial”, lamenta Louzer

Hélio evita críticas sobre erros de finalização e reforça confiança em título
Futebol

Hélio evita críticas sobre erros de finalização e reforça confiança em título