Sport perde pênalti e fica no empate com o Oeste

Em duelo de equipes que mais empatam na Série B, Leão repete instabilidade de outras vezes e fica na igualdade pela 11ª vez

Sport desperdiça pênalti e fica no empate em BarueriSport desperdiça pênalti e fica no empate em Barueri - Foto: Jefferson Vieira/Divulgação/Oeste

Talvez o empate estivesse escrito, mas os torcedores rubro-negros tinham a esperança que o Sport arrancasse os três pontos diante do Oeste neste sábado, na Arena Barueri. No entanto, os dois times que mais empataram na Série B ficaram no 0x0 e acumularam mais um resultado com igualdade na conta. O desempenho instável do Leão contra um time da zona do rebaixamento, somado ao pênalti desperdiçado por Hyuri, são alguns motivos que fazem a torcida lamentar o 11º empate na competição. Apesar de tudo, os leoninos se mantém no G-4 com 32 pontos e viram a página para focar no duelo contra o líder Bragantino, no próximo sábado, na Ilha do Retiro. 

O Sport entrou no gramado sem Adryelson (no banco, poupado após lesão), Guilherme, Hernane Brocador, além do seu natural substituto Élton (suspenso) e precisava ser adaptar. Mudar a postura era também importante para o Sport sair vitorioso de Barueri, após fazer dois tempos distintos no empate contra o Atlético Goianiense. Com cinco minutos de jogo, os rubro-negros já possuíam amplo domínio em campo. No entanto, apresentavam dificuldades para transformar a posse de bola em chances de gol. A primeira oportunidade surgiu somente aos dez minutos, quando Juninho aproveitou desvio da zaga, matou no peito e chutou acima da meta adversária. A boa tentativa soltou os visitantes, que rodava a bola e se aproximava da área do Oeste com certa facilidade. Aos 13 minutos, Hyuri partiu do meio de campo, passou por dois e tocou para Leandrinho. O meia devolveu de primeira e deixou Hyuri em ótima condição, mas o ponta desperdiçou a abertura do placar diante do goleiro Luís Carlos.

Passes rápidos e curtos, aliados com a desconcentração paulista, condicionava o Sport ser considerado como dono do jogo. Entretanto, a força ofensiva do Oeste, enfim, apareceu aos 19 minutos, com duas tentativas consecutivas, contando com defesa milagrosa de Maílson no rebote de Mazinho. A partir desse momento, os times se igualaram. A timidez do Rubrão não existia mais, enquanto os leoninos começaram a precisar ter mais atenção na defesa. Aos 25, Conrado avanço pelo lado esquerdo e tocou para Bruno Lopes. O atacante chutou bem e Maílson acompanhou , garantindo a saída da bola ao lado da meta rubro-negra.

O Leão da Ilha tentou mostrar que estava no jogo em outra tentativa de Hyuri minutos depois, mas desta vez chutou sem perigo por cima do gol. Após a parada de hidratação, os papéis observados no início da partida se inverteram. Era o Oeste quem comandava as ações e a parte central do gramado. O Sport caiu de ritmo e demonstrava a displicência de outras vezes. O rendimento de ambas as equipes na reta final fez os mandantes lamentarem não sair com a vantagem na etapa inicial.

O intervalo serviu para Guto Ferreira recolocar os comandados na partida. Logo no primeiro minuto, Yan tentou arriscar na cobrança de longa distância e obrigou Luís desviar para fora. O jovem ponta direita não teve boa aparição no primeiro tempo e buscava se recuperar o futebol que exerceu no último jogo. Para isso, ele contava com o auxílio do lateral esquerdo Conrado. O desempenho do defensor contribuiu no crescimento do atacante leonino. Aos 9, Hyuri arrancou na lateral esquerda, efetuou o cruzamento e Yan aparecia do outro lado acompanhado por Conrado. O lateral, no entanto, chegou atrasado e empurrou o adversário. O bandeirinha entendeu como pênalti e avisou o árbitro, que marcou a infração. Diálogo entre Guto Ferreira e auxiliares mostrou que Leandrinho seria o responsável pela cobrança, mas a bola foi passada para Hyuri. Porém, a decisão não foi das melhores, com o atacante pecando na cobrança e desperdiçando novamente a chance de abrir o placar.

Perder a melhor oportunidade da partida abalou os jogadores rubro-negros, que caíram mais uma vez de rendimento. Juninho foi a primeira vítima das substituições de Guto Ferreira. Retornar para a função de ofício, após ser improvisado consecutivamente no meio, não foi suficiente e produziu mais uma atuação abaixo. Pedro Carmona entrou no seu lugar. O filme da primeira etapa se repetiu na metade final do duelo. Os mandantes retomaram o controle e tiveram as condições de fazer o gol. Porém, a fragilidade ofensiva era clara, e a equipe não conseguia aproveitar o espaço oferecido pelos leoninos.

Aos 25, Roberto seguiu pela direita, Fábio fez pivô e Bonilha mandou uma verdadeira bomba, mas a bola foi sem direção. Os rubro-negros estavam desencontrados em campo, sem sequer desfrutar os vacilos do time mandante. Carmona e Leandrinho ficaram sozinhos na área adversária com a bola aos 33 minutos, mas bateram cabeça e protagonizaram um lance bizarro. Apesar dos esforços, incluindo uma bola na trave nos acréscimos, o Sport leva mais um empate na Série B.

Leia também: 

Após negociação, Ezequiel deixa o Sport e vai para o Cruzeiro

Sem Guilherme e Elton, Sport espera por Brocador ante o Oeste

Sport: Guto Ferreira iguala desempenho de Martelotte em 2013 

Veja também

Grêmio e Palmeiras dão pontapé inicial na decisão da Copa do Brasil
Copa do Brasil

Grêmio e Palmeiras dão pontapé inicial na decisão da Copa do Brasil

De volta ao Nordestão, Salgueiro recebe Bahia, no Cornélio de Barros
Copa do Nordeste

De volta ao Nordestão, Salgueiro recebe Bahia, no Cornélio de Barros