Magrão atendeu torcedores durante o evento
Magrão atendeu torcedores durante o eventoFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O tempo é o melhor remédio para curar as grandes derrotas, mas também é o melhor tempero para deixar ainda mais gostosas as glórias alcançadas. Foi com esse sentimento de orgulho que o Sport acordou ontem, para comemorar os dez anos do título da Copa do Brasil 2008. Aproveitando o espaço da exposição “Sport Viva Esta Experiência”, os rubro-negros invadiram o Shopping RioMar ontem, pela manhã. Num evento todo especial e recheado de atrações para os torcedores, a cereja do bolo foi a presença de ex-jogadores e do goleiro Magrão. Tietados a todo momento para fotos pelos fãs, o ex-zagueiro César Lucena e o ex-atacante Carlinhos Bala se juntaram a Magrão na bancada para conceder entrevista coletiva. Já no final do evento, quem se fez presente foi o ex-meia Luciano Henrique.

Como não poderia ser diferente, todo ambiente que inclui Carlinhos Bala é tomado pela irreverência. Questionado sobre as conseqüências do título na sua vida pessoa, o ex-leonino se saiu com uma referência curiosa na sua rotina. "Como sou daqui, o título mudou muita coisa. Todo mundo me reconhece nas ruas. A gente começou a comer de graça nos cantos. Até hoje a gente come. Que continue assim até eu ficar velhinho", brincou Bala. Sobre o famoso episódio em que teria “falado com Deus” antes da partida final, o ex-atacante relembrou a conversa. “Depois do jogo de ida contra o Corinthians eu disse que o gol de Enilton era o do título. Qualquer um pode falar com Deus, basta dobrar o joelho e ter fé. Eu tive essa experiência, apesar de algumas brincadeiras, que eu era o profeta e tal", comentou Bala.

Único atleta presente na conquista e que continua como titular com a camisa do Sport, o ídolo Magrão relembrou os principais momentos daquela campanha vitoriosa do grupo comandando por Nelsinho Baptista, inclusive quando foi um dos cobradores na disputa de pênaltis contra o Vasco. Mas, um determinado lance foi o grande despertar para o goleiro acreditar que o sonho estava próximo de se tornar realidade. “Aquela falta de Durval contra o Internacional me fez acreditar de vez no título. Um jogo muito complicado, o Inter nos eliminando em casa e Durval acerta um chute daquele. Ali parecia que nada poderia nos segurar”, afirmou Magrão.

Além de relíquias como a bola da final e a taça da Copa do Brasil 2008, os torcedores puderam conferir fotos da conquista, tirar foto com os jogadores e até mesmo se associar ou colocar as mensalidades em dia com o clube, sendo presenteados com uma camisa alusiva da conquista da Copa do Brasil em algumas situações de pagamento de anuidade. No período da noite, mais comemoração ao histórico título leonino. Por volta das 19h, uma missa foi celebrada no salão social do clube. Em seguida, o restaurante Varanda foi tomado por dirigentes, ex-dirigentes e torcedores, com vários gritos de “Cazá” sendo puxado pelos presentes e lembranças da noite da inesquecível conquista, em comemoração que tomou conta da noite inteira. 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: