Edilson Souza mostra o escudo do Leão com alegria
Edilson Souza mostra o escudo do Leão com alegriaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Passado o título conquistado em cima do Náutico, nos pênaltis, no domingo (21), caminhar pelas ruas do Recife na manhã desta segunda-feira (22) e encontrar rubro-negros ostentando a camisa do Sport foi uma tarefa fácil. Onde se passava dava para ver a tiração de onda dos torcedores leoninos com os rivais do Estado. Sobretudo, com os alvirrubros, sobre a conquista do 42º título Estadual do clube da Praça da Bandeira.

Torcedor fanático do Leão, Givanildo Siqueira estava trabalhando na hora da final. Entretanto, sempre dava uma espiada nas televisões que passavam o jogo no Mercado da Boa Vista. Nesta segunda, chegou ao local de trabalho vestindo a camisa rubro-negra e com uma toalha do Sport em mãos. Apesar da alegria, não escondeu o sofrimento do título conquistado.

"Já estávamos sem Hernane Brocador e ainda tomamos a virada. A tensão foi muito grande. Estava aqui na portaria, mas estava sempre ouvindo e dando uma olhada na TV. Foi na garra, mas graças a Deus deu tudo certo e fomos campeões", disse o porteiro de 47 anos.

Como muitos rubro-negros, Edilson Souza assistiu a decisão em casa ao lado da família. Para a reportagem, ele afirmou que a comemoração foi grande após a partida, mas que os amigos alvirrubros "sumiram" depois da última cobrança defendida por Maílson. "Foi difícil assistir os pênaltis, pois o sofrimento foi grande, mas agora é só zoar os alvirrubros. Desde ontem que tento falar com meus amigos que torcem para o Náutico, mas não estou conseguindo encontrá-los", afirmou o comerciante em tom de brincadeira.

Leia também:
Sport vence Náutico nos pênaltis e fatura 42º Estadual
Maílson quebra jejum de 13 anos com defesas na final
Maior campeão do Sport, Magrão oferece título a Durval
Brocador explica polêmica e diz querer ficar no Sport


Com a conquista sobre o Náutico, o Sport já soma cinco décadas sem perder uma decisão para o clube da Rosa e Silva. Nesses 50 anos foram 10 finais disputadas entre as duas equipes. Tirando sarro dos alvirrubros, Cícero Amaro, de 45 anos, falou sobre a supremacia do Leão sobre o Timbu. "Hoje eu só quero tirar onda com meus amigos torcedores do Náutico. Eu já tenho 45 anos de idade e nunca vi o Náutico ganhar uma final em cima do Sport. E acho que nunca vou ver", falou sorridente.

Apesar da euforia pelo título, há quem já esteja pensando no principal objetivo do Sport na temporada: a Série B. O Leão faz sua estreia nesta sexta-feira (26), diante do Oeste na Ilha e para Anderson Silva, se a equipe tiver a mesma atuação que teve contra o Náutico, a briga pelo acesso estará ameaçada.

"Como bom rubro-negro, eu comemorei muito o título. Mas, não pode jogar desse jeito. Recuou o time, deixou o Náutico gostar da partida e tomamos a virada. A Série B já vai começar e tem que melhorar caso queira subir de divisão de forma tranquila", comentou o comerciante conhecido como Índio.

Edilson Souza mostra o escudo do Leão com alegria
Edilson Souza mostra o escudo do Leão com alegriaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco
Sorridente, Givanildo Siqueira exibe a toalha do Sport
Sorridente, Givanildo Siqueira exibe a toalha do SportFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco
Com o pôster do Sport campeão em mãos, Cícero Amaro tirou onda com os alvirrubros
Com o pôster do Sport campeão em mãos, Cícero Amaro tirou onda com os alvirrubrosFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco
Anderson Silva comemorou título, mas pede melhora do time para a Série B
Anderson Silva comemorou título, mas pede melhora do time para a Série BFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: