Magrão defendeu um pênalti diante do Cruzeiro
Magrão defendeu um pênalti diante do CruzeiroFoto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

O amor acabou, mas o divórcio pode ser amigável. Não é que Sport e Magrão irão voltar a se declarar nos próximos dias, mas foi aberta uma boa possibilidade de um acordo entre as duas partes para que se encerre em comum acordo a ação trabalhista movida pelo jogador contra o clube. Na tarde desta quinta-feira (27), foi realizada a audiência de tentativa de conciliação entre as duas partes, na 10ª Vara da Justiça do Trabalho.

Na ocasião, estiveram presentes o advogado do atleta, Leonardo Laporte, os advogados do Sport e o diretor de futebol Nelo Campos. Já Magrão não compareceu. Segundo informações, o jogador está em São Paulo.

Leia também:
Enquete: antes unanimidade, Magrão vê prestígio cair
'Cada um pode pedir quanto quiser', diz o Sport sobre Magrão
Sport afirma que está em dia com Magrão, que encerra ciclo
Magrão aciona Sport na Justiça
Despedida? Magrão aceita rodízio e dá indícios do fim

O processo corre em segredo de justiça a pedido do próprio goleiro, que pede cerca de R$ 5 milhões no processo. Sem poder conceder muitas informações, os dirigentes rubro-negros não se estenderam muito nas respostas. “Foi uma boa conversa e saímos de lá com esse dever de casa, de analisar a situação com calma. A decisão será tomada pelo presidente Milton Bivar junto com o jurídico do clube. Não posso dar nenhum detalhe”, comentou Nelo Campos.

Caso o acordo não aconteça, a audiência inicial do caso está marcada para o dia 25 de setembro. Neste caso, a presença de Magrão será obrigatória. Caso as partes consigam se entender antes e fechem um acordo, esta data será anulada e o caso encerrado.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: