Magrão, maior campeão da história do Sport
Magrão, maior campeão da história do SportFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Era um "casamento de comercial de margarina", termo utilizado popularmente para relações com uma imagem perfeita. Sport e Magrão viveram juntos por 14 anos, o que não são 14 dias ou até mesmo 14 meses. É uma vida! Mas, tudo tem o seu começo, meio e fim. E chegou a hora do capítulo final de Magrão na Praça da Bandeira. O recordista em número de jogos com a camisa leonina e recordista em títulos, foram dez taças levantadas nesses 14 anos, está se despedindo do clube. Ídolo maior de uma linda história, o veterano pediu divórcio de "forma litigiosa", acionando o clube na justiça trabalhista alegando uma dívida de cerca de R$ 5 milhões, para surpresa de dirigentes e torcedores.

Como outra parte da relação, antes apaixonada, todos ainda esperaram as explicações do goleiro para o término, mas vem optando pelo silêncio até o momento. Enquanto todos aguardavam um pronunciamento do atleta de 42 anos, Magrão colocava o seu apartamento na Avenida Boa Viagem à venda, avaliado em R$ 3,5 milhões, e embarcava para São Paulo, onde está com a família. Todo término requer um tempo de análise. Advogados do Sport e do atleta estão em negociação para tentar um acordo amigável antes que o processo entre no trâmite jurídico, com a primeira audiência já marcada para o dia 25 de setembro, na 10ª Vara do Trabalho.

Leia também:
Guto Ferreira fala sobre a saída de Magrão do Sport
Sport e advogado de Magrão se reúnem. Acordo segue em aberto
Conciliação? Sport e Magrão abrem possibilidade de acordo
'Cada um pode pedir quanto quiser', diz o Sport sobre Magrão
Sport é notificado no 'Caso Magrão', que pede sigilo judicial

Com tantas conquistas e admiração por parte mesmo até dos rivais, Magrão e Sport viraram sinônimos. A ficha parece que ainda está caindo para muitos rubro-negros, que não poderão mais cantar que ele "é o melhor goleiro do Brasil" antes dos jogos. Ou até mesmo admirar o bandeirão feito em homenagem ao ídolo em 2017. O presidente Milton Bivar, por exemplo, afirmou na última quinta-feira que demorou a acreditar que o maior ídolo da história do Sport havia tomado tal atitude sem nem sequer o consultar antes para abrir uma possibilidade de acordo. Aliás, acordo esse que foi feito ainda no final do ano passado, quando o veterano sentou com a diretoria recém-eleita e acertou uma repactuação das dívidas que o clube tinha, além de aceitar a redução de seu salário.

O rompimento dessa relação começou no último dia 21, quando Magrão não esteve presenta na reapresentação do elenco. Entre os jogadores, a admiração e o respeito por Magrão são visíveis. Após a conquista do 42º título pernambucano do Sport, o oitavo do jogador pelo clube, vários companheiros de elenco pediram para tirar foto com a lenda rubro-negra ainda no gramado.

Internamente, a grande maioria se dirige ao goleiro como "Seu Magrão", como forma de respeito. Na última sexta-feira, o treinador Guto Ferreira falou pela primeira vez sobre a situação e deixou clara a sua admiração pelo profissional. A reportagem da Folha de Pernambuco passou a semana tentando contato com o goleiro Magrão, mas não obteve sucesso.  

veja também

comentários

comece o dia bem informado: