Meia Leandrinho, do Sport.
Meia Leandrinho, do Sport.Foto: Anderson Stevens/Sport Clube do Recife

Desde a saída de Sammir, Guto Ferreira vinha procurando um substituto para a armação central no Sport. Em certas ocasiões, optou pela “improvisação” de Guilherme na função, assim como fez em boa parte do Campeonato Pernambucano. Com isso, Leandrinho ganhava poucas chances e quase sempre ficava como opção para entrar no decorrer dos jogos. Mas, isso parece ter mudado.

Leia também:
Com três reforços, Sport espera por Brocador ante o Braga
Guto Ferreira minimiza alto número de empates do Sport
Sport perde pênalti e fica no empate com o Oeste

Para o comandante rubro-negro, Leandrinho não reunia condições físicas de jogar em alta intensidade nos 90 minutos. "Sempre ficou clara a qualidade de Leandrinho. Mas, eu precisava dele por 90 minutos. Essa evolução física chegou e no último jogo ele teve uma queda apenas no finalzinho, mas segurou bem. Aí ele passa a ser uma peça ainda mais importante na estrutura", explicou Guto Ferreira.

Nesta temporada, dos 25 jogos que fez, Leandrinho atuou os 90 minutos em apenas quatro ocasiões. Contra o Oeste, no último sábado (31), o meia fez uma boa partida, mas acabou se atrapalhando em lance com Pedro Carmona, que poderia ser decisivo na partida. “Eu olhei para a bola, que subiu. Acabei perdendo um pouco dessa noção de espaço. Faltou comunicação. Se ele tivesse falado eu teria saído, porque ele estava melhor posicionado”, explicou Leandrinho.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: