Raul Prata, lateral-direito do Sport
Raul Prata, lateral-direito do SportFoto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha

Já se passaram dois meses desde a última partida do Sport em 2020. Já com os portões fechados, no dia 15 de março o Leão perdeu para o Ceará por 2x1, no Castelão, pela Copa do Nordeste. Desde então, as atividades esportivas no Brasil foram suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus e os atletas passaram a treinar em suas respectivas casas. Apesar dos 60 dias longe dos gramados, o lateral-direito Raul Prata admite que o momento não é para pensar na volta das competições, mesmo com a ansiedade pelo retorno.

"É um momento muito incerto. Por mais que queiramos voltar a treinar, jogar, temos que entender que o momento é de salvar vidas. Temos que se prevenir, seguir o que vem sendo falado para nós fazermos e se resguardar. O futebol em si envolve muitas pessoas, e seria um risco grande voltar agora. Temos que torcer para que isso passe logo e tudo volte ao normal", afirmou o jogador rubro-negro ao DAZN.

Com as incertezas sobre a volta do futebol, os jogadores rubro-negros ficaram durante todo o mês de abril de férias, e retornaram aos trabalhos no início de maio. De acordo com Prata, apesar do longo tempo em casa, ele só tem ido à rua quando se trata de algum serviço essencial, como determina os órgãos superiores. No mais, o lateral tem seguido a cartilha de atividades do Sport, no intuito de voltar fisicamente bem quando os treinos forem liberados.

"O Sport nos manda uma cartilha semanalmente. Treinamos em casa, ou em algum outro local que seja possível fazer as atividades, para não perder a forma física. Como não sabemos quando vamos voltar, a rotina tem sido essa. Só saio de casa para ir no mercado, assim como a maioria das pessoas. O momento é de se resguardar", relatou.

Leia também:
Sport não descarta chegadas, mas atual elenco deve ter saídas

veja também

comentários

comece o dia bem informado: