Superliga: Minas e Praia abem série final neste domingo

Decisão entre Minas e Praia Clube será em melhor de três jogos. O primeiro é às 11h deste domingo (21)

Dentil Praia Clube é o atual campeão da Superliga femininaDentil Praia Clube é o atual campeão da Superliga feminina - Foto: DivulgaçãoDentil Praia Clube

O primeiro passo para a definição do campeão da Superliga feminina de vôlei 2018/19 será dado neste domingo (21), em partida marcada para as 11h, no ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte. Minas Tênis Clube e Dentil/Praia Clube fazem uma final 100% mineira, mudando um pouco o cenário do certame, que tem hegemonia de Rio de Janeiro e São Paulo não só em títulos, mas em presença em finais – a última final sem cariocas ou paulistas foi na edição 2001/2002, com o clássico Flamengo/RJ x Vasco/RJ.

Os times finalistas são donos dos elencos mais completos desta edição da Superliga. Não à toa, Minas e Praia foram, respectivamente, líder e vice-líder na fase classificatória. O Minas somou 20 vitórias e sofreu apenas duas derrotas, enquanto o Praia teve 19 triunfos e três revezes. No mata-mata de quartas de final, o Minas passou pelo Curitiba Vôlei/PR e o Praia pelo Fluminense/RJ, ambos com duas vitórias diretas na série melhor de três. O mesmo aconteceu nas semifinais, quando o Minas passou pelo Osasco-Audax/SP com dois placares de 3x1, e o Praia atropelou o Sesi Vôlei Bauru/SP com duas vitórias por 3x0.

Leia também:
Superliga: Tifanny pontua menos e oscila mais que rivais
Superliga: manutenção de ranking feminino revolta atletas

Atual campeão nacional, o Praia tenta ir à terceira final da sua história. Já o Minas, uma das equipes mais tradicionais do vôlei nacional, tem sete finais no currículo, mas não disputava um título desde 2003/2004. Em termos de aproveitamento em decisões, o Praia leva a melhor, com uma conquista em duas decisões, enquanto o Minhas tem dois títulos e quatro vice-campeonatos.

Para chegar ao tri, o Minas montou um time de respeito nesta temporada, mantendo a base que já havia feito uma boa competição no ano anterior, mas reforçando o grupo com as ponteiras Gabi e Natália, ambas da seleção brasileira. Fora isso, contou o crescimento expressivo da levantadora Macris, que vem sendo um dos destaques da Superliga e tem coordenado com maestria a distribuição de bola da equipe. O Praia também não ficou atrás.

Apesar de ter conquistado seu primeiro título no ano passado, o time teve uma dança das cadeiras para a atual edição. As chegadas da ponteira/oposta Rosamaria, da central Carol e da levantadora norte-americana Carly Lloyd foram as principais novidades. Embora a qualidade do trio seja incontestável e o time tenha cumprido a meta de chegar à decisão, fica uma sensação de que o nível do jogo coletivo poderia estar em um patamar mais elevado. É como se o grupo ainda não tivesse chegado ao seu auge e acabe oscilando em alguns momentos, como aconteceu no Mundial, por exemplo.

Programação
A final da Superliga ganhou um formato diferente nesta temporada, sendo realizada em uma série melhor de três jogos. O segundo confronto está marcado para o dia 26 de abril, às 21h30, no Sabiazinho, ginásio do Praia Clube, em Uberlândia. Caso seja necessário um terceiro jogo, o mesmo acontecerá no dia 3 de maio, também às 21h30, no Mineirinho, uma vez que o Minas fez a melhor campanha da primeira fase e, por isso, tem o privilégio de decidir em casa.

Veja também

Hélio elogia força do lado direito em vitória
Futebol

Hélio elogia força do lado direito em vitória

Náutico goleia Oeste por 4x1, nos Aflitos, e se distancia do Z4
Futebol

Náutico goleia Oeste por 4x1, nos Aflitos, e se distancia do Z4