Surfe: WSL anuncia prêmios iguais para homens e mulheres

Novidade estará em vigor a partir de 2019 e faz parte de uma série de ações para desenvolver o surfe feminino

Silvana tem trajetória reconhecida mundialmente pela superaçãoSilvana tem trajetória reconhecida mundialmente pela superação - Foto: Kelly Cestari/WSL

A partir de 2019, todos os eventos organizados pela Liga Mundial de Surfe (WSL) oferecerão premiações iguais para homens e mulheres. A novidade foi anunciada pelos comissários da Liga, nesta semana. “Este é um passo enorme em nossa estratégia há muito tempo planejada, de elevar o nível do surfe feminino, então estamos entusiasmados em assumir esse compromisso já a partir da temporada 2019”, disse a CEO da WSL, Sophie Goldschmidt. “Esta é a mais recente de uma série de ações que a Liga se comprometeu trabalhar para nossas atletas do sexo feminino, desde competir na mesma qualidade de ondas que os homens, até melhores locações e mais apoio e investimento no surfe feminino.”

Hexacampeã mundial, a australiana Stephanie Gilmore festejou a novidade: “Isso é incrível e estou muito feliz. O prêmio em dinheiro é fantástico, mas a mensagem significa muito mais. A partir do momento em que a atual diretoria da WSL assumiu, a situação das surfistas mulheres se transformou para melhor em todos os sentidos. Espero que isso sirva de modelo para outros esportes, organizações globais e para a sociedade como um todo. Todas nós atletas estamos honradas com a confiança em nós e inspiradas para recompensar essa decisão com níveis cada mais altos de surfe”.

Onze vezes campeão mundial, o norte-americano Kelly Salter também comentou sobre a decisão inédita da WSL: “As mulheres que correm o circuito merecem essa mudança. Tenho muito orgulho de que o surfe esteja optando por liderar a igualdade e justiça no esporte. As atletas do surfe feminino da WSL estão igualmente comprometidas com seu ofício como os do masculino, então devem receber o mesmo pagamento nas premiações. O surfe sempre foi um esporte pioneiro e esse é mais um exemplo disso”.

Leia também:

Surfe: Brazilian Storm domina temporada 2018 no CT
Surf Ranch Pro: etapa histórica começa nesta quinta

A igualdade de prêmios estará em vigor na próxima temporada, abrangendo todos os eventos controlados pela WSL, o Championship Tour, Longboard Tour, World Junior Championships e o Big Wave Tour. "Estaremos trabalhando com nossos parceiros organizadores de campeonatos que nós não controlamos a premiação, como os eventos do Qualifying Series, para alcançar a igualdade total o quanto antes”, disse o comissário da WSL, Kieren Perrow.

Embora tenha crescido de patamar nos últimos anos, o surfe feminino ainda tem muitos ganchos a serem desenvolvidos. A transmissão dos eventos é um desses campos. No Brasil, por exemplo, só são televisionadas as baterias a partir das oitavas de final. Entre outras iniciativas anunciadas pela WSL para ajudar no desenvolvimento do surfe feminino estão uma campanha de marketing global, realização de clínicas com as atletas da WSL nos locais por onde o tour passar, além de conteúdos especiais mensais nos canais oficiais da Liga.

Veja também

Martelotte culpa desatenção por empate contra o Itabaiana-SE e mira decisão no Arruda
Santa Cruz

Martelotte culpa desatenção por empate contra o Itabaiana-SE e mira decisão no Arruda

Anderson, protagonista da melhora defensiva do Náutico
Futebol

Anderson, protagonista da melhora defensiva do Náutico