Suspeitos de planejar invasão ao Maracanã são presos

Quadrilha combinava ação pelas redes sociais. De acordo com as investigações, presos discutiam a morte de agentes de segurança em grupo.

Presos estão sendo levados pra Cidade da Polícia, no RioPresos estão sendo levados pra Cidade da Polícia, no Rio - Foto: Reprodução/Record TV Rio

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta terça-feira (22), 11 suspeitos de planejar uma invasão ao estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (23), para a partida entre Flamengo e Grêmio, válida pelo jogo da volta da semifinal da Copa Libertadores. Os mandados de prisão foram cumpridos na capital do RJ e em cidades da região metropolitana, dos Lagos e da Baixada Fluminense. As informações são do R7.

De acordo com as investigações da polícia, o grupo estava combinando a invasão pelas redes sociais. Cerca de 100 pessoas eram monitoradas pela polícia, o que resultou em 27 mandados de prisão expedidos pelo Juizado Especial do Torcedor e Grandes Eventos, além de 89 mandados de intimação.

Leia também:
Superclássico define 1º finalista da Libertadores
Flamengo evita bloqueio de R$ 100 milhões por incêndio no Ninho


O planejamento do grupo, segundo a Polícia Civil, era agir com violência para conseguir entrar no estádio. Segundo a instituição, a quadrilha tinha como objetivo “matar policiais, roubar transeuntes, causar danos generalizados, além de constranger os torcedores do Grêmio”. As investigações da Polícia Civil tentam impedir episódios semelhantes ao da final da Copa Sul-Americana, entre Flamengo e Independiente, em 2017, no qual centenas de pessoas invadiram o Maracanã, causando pisoteamentos e ferindo torcedores.

Para evitar um incidente como o de 2017, o Flamengo e as esquipes de segurança e de trânsito do Rio montaram um planejamento especial para a semifinal da Libertadores. Bloqueios serão montados no entorno do Maracanã desde a partir das 18h de quarta, sendo permitido apenas o acesso de pessoas com ingresso para a partida.

Em nota, a Polícia Civil estima que haja um agente público de segurança ou trânsito para cada 56 torcedores na operação para a semifinal.

Veja também

Na Fonte Nova, Bahia desafia tabu contra o Ceará
Futebol

Na Fonte Nova, Bahia desafia tabu contra o Ceará

Em clima de decisão, Náutico visita Figueirense no Orlando Scarpelli
Série B

Em clima de decisão, Náutico visita Figueirense no Orlando Scarpelli