Técnico lamenta alta rotatividade no time do Náutico

Roberto disse que gostaria de ter mais tempo para poder repetir base titular em mais jogos

Roberto Fernandes, técnico do Náutico Roberto Fernandes, técnico do Náutico  - Foto: Léo Lemos/Náutico/Divulgação

Por mais que a goleada por 4x0 diante do Salgueiro, na última terça (6), na Arena de Pernambuco, pelo Campeonato Pernambucano, tenha agradado o técnico Roberto Fernandes, ele não escondeu que a dificuldade em repetir uma escalação do Náutico, gerada pela alta quantidade de jogos inversamente proporcional ao tempo de treinamento, é uma de suas preocupações mais constantes.

"Eu não vejo muita coisa positiva nessa rotatividade (do time). Ninguém se cobra mais do que eu. Queria ver a equipe em um estágio diferente, com coisas melhores definidas em construção de jogada, bola parada e transição ofensiva e defensiva. Infelizmente não consigo porque nosso treinamento tem sido na véspera dos jogos. Temos 60% do trabalho feito em vídeo, parte teórica, e no campo fazemos apenas um treino de 40 minutos", citou o técnico.

O treinador ainda citou um exemplo de como o pouco tempo de trabalho virou uma rotina negativa para o elenco."O grupo que não veio para o jogo, trabalhou dois dias seguidos. Treinei pela manhã nesta terça e os caras sentiram o treinamento porque o ritmo deles era jogar, descansar e depois jogar. Treinaram duas vezes seguidas e sentiram", completou.

Para o jogo contra o Botafogo/PB, quinta (8), pela Copa do Nordeste, a ideia de Roberto é trocar todas as peças, com a exceção do goleiro Bruno. Mas ele indicou que alguns dos atletas que enfrentaram o Salgueiro podem ser relacionados para o duelo regional. "Alguns ganharam credencial para compor o grupo contra o Botafogo. Quem jogou 90 minutos é difícil, mas quem esteve menos tempo pode ser opção", pontuou, reforçando a importância do confronto no Almeidão, pela segunda rodada do Grupo C.

"Temos Bahia, Série A, Náutico e Botafogo da C e Altos que briga por uma vaga na D. Na teoria, nossa briga é contra o Botafogo. Seria bom recuperar esses pontos fora de casa, mas o empate lá não é um resultado ruim. Em um grupo de quatro times e seis jogos, se você fizer 9 pontos dificilmente não se classifica. Na teoria, seriam três vitorias em casa ou três e um empate. Respeitamos a equipe do Botafogo, que vive momento mais equilibrado que o nosso. Já tem um time mais entrosado por não precisar jogar tanto. Mas não vamos partir para o desespero. Empate é resultado interessante, mas não vamos para lá pensando nisso", concluiu.

Veja também

Patrick e Philip são regularizados pelo Sport
Sport

Patrick e Philip são regularizados pelo Sport

Socorro ao setor esportivo deve ser votado nesta terça, na Câmara dos Deputados
Esportes

Socorro ao setor esportivo deve ser votado nesta terça, na Câmara dos Deputados