Técnico Roberto Fernandes em busca do Náutico ideal

Nas três partidas em que comandou o time nesta Série B, o treinador utilizou escalações diferentes

Treinador faz mudanças no Timbu conforme a ocasiãoTreinador faz mudanças no Timbu conforme a ocasião - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Roberto Fernandes chegou há pouco tempo no Náutico. Foi apenas no início deste mês que o treinador assinou com o Timbu para comandá-lo pela quarta vez em sua carreira. Quando desembarcou no Recife, a situação era caótica. Os alvirrubros estavam afundados na lanterna da Série B e não davam mostras de reação na briga contra o rebaixamento. Hoje, a situação é diferente. A equipe deixou a última posição do torneio e mostra poder de recuperação. Por outro lado, o técnico se vê diante de um problema: encontrar o time ideal não vem sendo nada fácil para o pernambucano.

O comandante esteve à frente do escrete vermelho e branco por três partidas até agora e não teve ainda oportunidades de repetir a escalação. E a dificuldade em usar os mesmos atletas não é a única razão para isso. O sistema tático utilizado pela equipe também varia conforme a ocasião. Em sua reestreia pelo clube (Náutico 1x0 Luverdense), Roberto Fernandes armou uma equipe inegavelmente ofensiva. O esquema empregado foi o 4-3-3, mas com apenas um volante (Darlan) e dois meias (Bruno Mota) e Iago Silva. Funcionou. Na partida seguinte, contudo, a realidade foi outra.

Em Belo Horizonte (América/MG 1x0 Náutico), o treinador abdicou de uma escalação agressiva. Diante do líder da competição, a ideia era entrar mais reforçado na defesa. Dito e feito: o Timbu jogou com três zagueiros (Breno Calixto, Feliphe Gabriel e Aislan). O time não foi massacrado pelo Coelho, mas também não pontuou. Já no último confronto (Náutico 2x0 Figueirense), nova mudança. O 4-3-3 com dois meias voltou, mas Joazi (lateral-direito), Ávila (lateral-esquerdo), Giovanni (meia, que voltava de lesão) e William (atacante) jogaram pela primeira vez com o treinador.

E se havia alguma esperança de repetir integralmente os nomes do jogo contra o Figueira, ela caiu por terra. Afinal, o atacante Erick, titular absoluto, está de saída para o futebol português e não deve entrar em campo na próxima sexta-feira (25), contra o Ceará, em Fortaleza. Por outro lado, a equipe contará com o reforço do meia Bruno Mota, recuperado de contusão. Assim, é até provável que Roberto Fernandes aposte em um 4-4-2 clássico. Nesse caso, Giovanni e Bruno Mota ficariam responsáveis pela armação, enquanto Gilmar e William formariam a dupla de ataque.

Veja também

Brasileira Duda Amorim recebe prêmio de melhor da década
Handebol

Brasileira Duda Amorim recebe prêmio de melhor da década

Veja os melhores momentos da vitória do Lakers sobre o Milwaukee Bucks
NBA

Veja os melhores momentos da vitória do Lakers sobre o Milwaukee Bucks