Santa Cruz

Tempo hábil e disparidade: antes atrás, Santa vê favoritismo crescer para a Série C

Tricolor deu início aos trabalhos presenciais no dia 17 de junho, à frente de 12 das vinte equipes que vão disputar o torneio neste ano

Elenco do Santa Cruz, no CT Ninho das CobrasElenco do Santa Cruz, no CT Ninho das Cobras - Foto: Rafael Melo/SCFC

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou na tarde desta quinta-feira (09) alguns ajustes no calendário com as datas para o início das Séries A,B,C e D do Campeonato Brasileiro. O início da Terceirona, assim como da Primeira Divisão foram datados para o dia 9 de agosto, enquanto a Série B foi mantida e vai começar um dia antes. Há 22 dias pegando forte no batente, visando os retornos da Copa do Nordeste - 21 de julho - e do Campeonato Pernambucano, ainda sem definição, o Santa Cruz passa também a mirar seu principal objetivo do ano: o acesso à Segundona.

Há cerca de 30 dias a preocupação coral se voltava à possibilidade de largar atrás na Série C, pelo fato do Governo do Estado não ter dado sinal verde ao retorno dos treinos presenciais. Hoje, no entanto, o sentimento do elenco tricolor é de estar um passo à frente dos adversários. Isso deve-se ao fato do Santa estar se preparando fisicamente a mais tempo do que 12 das vinte equipes que vão disputar a competição neste ano. No páreo, alguns clubes sequer retornaram aos trabalhos restritivos, fator que pode aumentar o favoritismo da Cobra Coral ao longo da corrida pelo acesso. 


 
Quem tem levado esse cenário à risca é o meia Jeremias. “O Santa Cruz é uma equipe grande e em todas as competições que o Santa está presente é almejando coisas grandes. Acredito que a gente é favorito, sim. Mas futebol é uma caixinha de surpresas e precisamos dar o nosso melhor, a cada dia, a cada jogo, e espero que dê certo. Somos grandes favoritos”, disse. 

“Tempo flexível de trabalho”
Na teoria, o contexto pinta as mil maravilhas para o Tricolor. Mas como dita o futebol, o que vale mesmo são os resultados mostrados na prática, dentro de campo. Até que a competição seja iniciada, o preparador físico do clube, Carlos Gamarra acredita que os 22 dias de atividades desempenhados até então podem surtir efeito favorável ao Mais Querido, possivelmente com o elenco mais próximo fisicamente do que é esperado pela comissão técnica.  

“Para a Série C, a gente vai ter conseguido fazer um bom trabalho. Vamos ter conseguido fazer todas as variantes físicas que a gente imagina, deixar os jogadores muscularmente bem. Claro que a preocupação é só quantos jogos nós vamos fazer antes dessa estreia. Para que a gente possa pegar um pouco de ritmo de jogo, e se conhecer novamente no esquema tático feito pelo Itamar”, comentou.

“Acredito que vamos estar em boas condições físicas para poder desenvolver todas as bivalentes necessárias. Estamos esperançosos que isso aconteça, e preocupados somente quanto ao número de jogos que vamos ter antes para esse ritmo de jogo ser implementado pela comissão técnica e para o grupo entender bem a mecânica de trabalho. Acredito que vamos estar em um bom nível físico para a estreia da Série C”. 

Confira as equipes que voltaram a treinar
Dos vinte clubes que vão disputar a Série C neste ano, cinco equipes ainda não voltaram aos treinos presenciais. No Grupo A, oito dos 10 clubes trabalham na espera pelo retorno dos estaduais e da competição nacional. Já pelo Grupo B, três times seguem em quarentena. 

Grupo A
Santa Cruz, Jucuipense/BA, Ferroviário/CE, Imperatriz/MA, Manaus/AM, Paysandu/PA, Remo/PA, Vila Nova/GO, Botafogo/PB e Treze/PB.

O Vila Nova iniciou os treinos no dia 17 de junho, mesmo dia que o Tricolor pernambucano. O Ferroviário saiu um pouco atrás e começou os treinos restritivos no dia 27 do mesmo mês. No mesmo dia, o Paysandu dividiu seu plantel em dois grupos e iniciou as atividades. Em seguida, foi a vez de Botafogo/PB e Treze voltarem ao batente, no dia 29. O Remo, também representante do Pará na competição, acionou o elenco para o primeiro treino no dia 30. No rol, a Jacuipense foi o último clube a anunciar o retorno, e somente deu início aos treinamentos com bola há três dias.

Em desvantagem, Manaus e Imperatriz são as únicas equipes do Grupo A que ainda não retornaram. O Cavalo de Aço segue sem previsão de volta, enquanto o time amazonense deve dar início aos treinos na próxima segunda-feira (13). 

Grupo B
Boa Esporte/MG, Brusque/SC, Criciúma/SC, Ituano/SP, Londrina/SC, São Bento/SP, São José/RS, Tombense/MG, Ypiranga/MG e Volta Redonda/RJ

De todos os clubes que já iniciaram as atividades presenciais, o Brusque/SC foi o primeiro, na ativa desde o dia 15 de maio. Três dias depois, o São José seguiu os passos do Bruscão, quando pisou pela primeira vez no Passo d´Areia depois de pouco mais de dois meses com os atletas trabalhando de casa. Tombense, Criciúma e Boa Esporte acompanharam o trem. O primeiro está na ativa desde o dia 28 de maio, enquanto o Tigre catarinense e o time do Triângulo Mineiro começaram a treinar em junho. 

Dentre todos que compõe o Grupo B, o Volta Redonda é o único que já teve a oportunidade de testar o elenco dentro de campo, com o retorno do Campeonato Carioca. O Voltaço treina desde o dia 17 de junho. Atrás, Ituano e São Bento ainda não deram início aos trabalhos. O Londrina, por outro lado, tem a volta marcada para segunda-feira. 

Veja também

CR7 marca dois gols, mas Lyon elimina Juventus
Futebol

CR7 marca dois gols, mas Lyon elimina Juventus

City vence Real por 2x1 e avança às quartas da Liga dos Campeões
Futebol

City vence Real por 2x1 e avança às quartas da Liga dos Campeões