SANTA CRUZ

Tininho pede que clubes sejam escutados pelo Governo: ‘É uma falta de diálogo grande’

Comandante do executivo coral se posicionou sobre o futebol não ter sido integrado ao plano da quinta etapa de retorno das atividades no Estado

Presidente do Santa Cruz, Constantino JúniorPresidente do Santa Cruz, Constantino Júnior - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O Governo do Estado, através das secretarias de Saúde, Desenvolvimento Econômico de Planejamento, anunciou que o futebol não foi incluído no Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19. O que significa dizer que a data para o retorno do Campeonato Pernambucano segue indefinida. Em contato com a Folha de Pernambuco, quem comentou a decisão foi o presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior.

De acordo com o mandatário, existe certo distanciamento entre o Governo do Estado e os clubes, ao mesmo tempo em que, segundo ele, falta mais diálogo, uma vez que os clubes não foram ouvidos pela instituição estadual.

“A gente só espera um melhor diálogo com o governo e que os clubes façam parte desse diálogo. Não quero dizer quem está certo ou errado, não sou eu quem faço o protocolo, mas é importante o contato com os clubes, que apresentaram seus protocolos. Só está faltando esse diálogo. Queremos voltar em segurança, claro, mas acho que os protocolos estão sendo bem executados. A questão não é data, é a falta de um diálogo maior. O governo ainda não conversou com os clubes”, comentou. 
 

“Queremos retornar com segurança. Já estamos treinando, obedecendo tudo. Quem tem condições de avaliar são eles, mas é importante que se discuta, já que vai ser feito com segurança, de que forma, analisar protocolo. É uma falta de diálogo grande, é o sentimento dos três clubes. A gente tem que analisar que tem setores que talvez tenham um risco maior (de contágio) e já voltaram. O importante é ter o diálogo, ser escutado, colocar na mesa o que estamos fazendo, o que de repente para o governo não está agradando que os clubes podem fazer, salientou. 

Em complemento, Constantino disse acreditar que a partir desta quinta-feira (02) uma conversa mais aberta poderá ser travada com o Governo do Estado sobre o desejo das equipes. “Eu espero isso, que tenha uma breve sinalização de que os clubes venham a ser escutados”. 

A previsão da Federação Pernambucana de Futebol era de que os jogos fossem retomados entre os dias 07 e 12 de julho. Com a decisão da não inclusão do esporte na nova fase de reabertura, a data para o retorno volta a ser uma incógnita. 

Veja também

Na Fonte Nova, Bahia desafia tabu contra o Ceará
Futebol

Na Fonte Nova, Bahia desafia tabu contra o Ceará

Em clima de decisão, Náutico visita Figueirense no Orlando Scarpelli
Série B

Em clima de decisão, Náutico visita Figueirense no Orlando Scarpelli