Tite afirma ter errado na Rússia e diz que Copa América não é 'obsessão'

'Se eu me obrigar a vencer, eu perco a alegria de fazer as coisas', afirmou o treinador da Seleção Brasileira em programa de canal por assinatura

Tite em entrevista a canal por assinaturaTite em entrevista a canal por assinatura - Foto: Reprodução/SporTV

Convidado de estreia do programa "Grande Círculo", do canal por assinatura SporTV, Tite falou sobre seus erros na Copa do Mundo de 2018 e projetou as futuras competições à frente da Seleção Brasileira.

Ainda que diga entender a pressão para a Copa América em casa após a queda na Rússia, o treinador evita exigir a busca pelo título a qualquer custo e tenta tirar o peso da competição que pode definir seu rumo na CBF. "Se eu me obrigar a vencer, eu perco a alegria de fazer as coisas. Preciso passar para os atletas que há uma coisa boa além dela [Copa América]. Não pode ser obsessão. O mais importante é desempenho. Equilibrar o setor de meio de campo, criar padrão", ponderou Tite.

Leia também:
Tite diz que errou ao levar taça da Libertadores a Lula
Sorteio da Copa América 2019 será em 24 de janeiro


O meio de campo, aliás, é um dos setores que demandam maior atenção do treinador após o Mundial. Na autocrítica sobre a Rússia, ele admitiu que um dos erros passou pela faixa central do campo. "Eu errei ali. O ajuste não se deu quando o Renato [Augusto] se machucou. Tivemos momentos bons e ruins, mas erramos ali".

A demora para mexer na equipe, especialmente em peças que poderiam ser barradas de uma partida para outra, também foi apontada pelo técnico como um erro grave na Copa. "Em um campeonato mundial, você pode substituir durante o jogo, mas principalmente antes. Você pode mexer um jogador antes do jogo. Eu errei nisso. Eu tinha três atletas oscilando e a minha decisão foi de preservar, mas eu errei. Esse foi meu erro", disse.

Veja também

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)
Futebol

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição
Sport

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição