Tite se recusa a encontrar Bolsonaro antes da Copa América

Perguntado se aceitaria encontrar Bolsonaro em solenidade antes ou depois da Copa América, treinador disse que não

TiteTite - Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A CBF faz de tudo para se aproximar de Jair Bolsonaro. Já Tite quer distância do presidente eleito. Ao ser questionado se aceitaria encontrar o politico em solenidade oficial antes ou depois da Copa América, o treinador foi direto. "Não. Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura. Não.", afirmou Tite.

Antes da Copa da Rússia, o treinador já havia quebrado uma tradição na Seleção Brasileira, que rotineiramente encontrava o presidente antes de embarcar para o Mundial. Desta vez, Tite se recusou levar os atletas para estarem com o presidente Michel Temer em Brasília.

A Copa América será disputa em junho no Brasil em cinco cidades. Depois da derrota na Rússia, o treinador precisa do titulo do torneio para se manter no cargo. No domingo (2), a CBF convidou Bolsonaro para entregar a taça de campeão do Brasileiro ao Palmeiras.

Leia também:
Bolsonaro acompanha vitória do Palmeiras e entrega taça
Tite nega ter conversado com times europeus antes da Copa 

Pivô de uma série de escândalos de corrupção nos últimos anos, a entidade ainda não conseguiu estreitar laços com o novo governo. Os cartolas da confederação chegaram cedo ao estádio e aguardaram no camarote do clube o encontro.

Tite se recusou a comentar sobre a participação de Bolsonaro na entrega do troféu no domingo. "Tenho opinião, mas não quero opinar, não devo opinar. Sei da minha posição, não quero", disse o treinador da seleção.

"Não misturar enquanto esporte, que é um meio que viabiliza princípios e tal, é uma série de outra escala de valores éticos, morais, competitivos. Então, da minha parte, não. Do outro lado, respeito", acrescentou.

Com seus três ex-presidentes envolvidos em denúncias de corrupção -Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero-, a CBF tentam-se blindar de uma futura investigação do novo governo. Teixeira, Marin e Del Nero foram acusados pelo FBI de receber propinas de contratos de TV e da seleção.

Nesta terça (04), Tite participou da abertura do curso de formação de treinadores (licença pro) organizado pela CBF. Como aluno, ele assistiu aula junto de Mano Menezes e Dunga, que também comandaram o time nacional. O corpo docente conta com profissionais como Paulo Roberto Falcão, Reinaldo Rueda, Carlos Alberto Parreira e o italiano Attilio Sorb.

Veja também

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)
Futebol

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição
Sport

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição