Títulos e reconstrução: Wendel é apresentado no Náutico

Volante de 35 anos contou seu passado vitorioso e diz que vem para agregar experiência no time

Wendel já conquistou 18 títulos na carreiraWendel já conquistou 18 títulos na carreira - Foto: Léo Lemos/Divulgação/Náutico

“Normalmente a entrevista começa pelas perguntas, não é? Posso mudar o protocolo?” Apresentado oficialmente nesta terça (27) no CT Wilson Campos, o volante Wendel nem esperou ser questionado pelos jornalistas para destacar sua felicidade em assinar com o Timbu. Ciente da sua responsabilidade por ser um dos nomes mais famosos do elenco, ao lado do atacante paraguaio Ortigoza, o volante de 35 anos cita sua experiência para ajudar o Timbu a quebrar o jejum de títulos.

“Estou muito feliz em vestir essa camisa tradicional no futebol brasileiro. Sei da importância deste ano de reconstrução do clube e da volta aos Aflitos. Estou orgulhoso de ser uma peça nesse projeto de reerguer o Náutico no patamar que ele merece. Quando caiu para Série C, o copo de água foi derramado, mas com a nova diretoria, o copo já encheu um pouco”, afirmou o volante.

Com passagens por equipes como Vasco, Cruzeiro, Santos e Sport, o atleta frisou seu passado vitorioso e aproveitou para deixar um recado para quem o considerado ultrapassado no futebol.

Leia também:
Wallace é dúvida para jogo contra o Cuiabá
Roberto vê jogo contra Cuiabá como teste para Série C

“Eu sei que posso ser importante. Durante a temporada um ou outro se destaca mais. Wallace, Robinho, junto com Breno, são as peças de destaque do momento, mas depois podem surgir outros. Essa é minha 11ª equipe e já fui campeão em oito. Tenho 18 títulos e espero conquistar mais um aqui, acabando com o jejum de 14 anos. Uma pessoa da Imprensa disse que estavam trazendo um jogador velho. Mas em que sentido? Com 18 títulos e mais de 750 jogos? Um elenco ou empresa não vive só de jovens. É importante agregar experiência. Quero provar que ela está enganada”, apontou, sem indicar o autor do comentário.

Veja outros pontos da entrevista

Torcida


Espero que o torcedor entenda que o ano é importante. É fácil falar em reconstrução, mas os torcedores são primordiais comprando ingresso e indo ao estádio. Somos os únicos representantes do estado na Copa do Brasil e espero ver o apoio deles no jogo da quarta (contra o Cuiabá).

Títulos

Objetivo do ano é voltar para Série B. Como as coisas estão caminhando bem no Pernambucano e na Copa do Brasil, nós podemos sonhar mais alto. Clube vive de conquistas. Em um momento importante da carreira, se eu conseguir, nesse ano de reconstrução, vencer novamente, será bom para todos.

Posição

Professor (Roberto Fernandes) pode jogar com dois ou três volantes, de acordo com adversário. Já joguei como 10, 5 e 8, saindo ou ficando mais. Não tenho preferência. Quero ajudar o Náutico a conseguir títulos e subir de divisão.

Lado físico

Estou me sentindo bem fisicamente. Para amanhã não dá, mas fiz todos os trabalhos pedidos para suportar bem a temporada. Tive uma pequena virose que atrapalhou o processo de preparação, mas acho que no próximo jogo já podem contar comigo. Sou aguerrido, chato quando preciso ser e luto por todas as bolas. Esse é meu pensamento.

Veja também

Zagueiro do Sport, Victor Gabriel é convocado para a seleção sub-17
Futebol

Zagueiro do Sport, Victor Gabriel é convocado para a seleção sub-17

Prestes a completar 80 anos, Pelé é retratado em mural de Kobra em Santos
Futebol

Pelé é retratado em mural de Kobra em Santos