"Trabalhar mais e reclamar menos" é o lema no Santa Cruz

Técnico Júnior Rocha tenta aliviar pressão sobre os jogadores e estuda mudanças na forma de jogar

Técnico Júnior Rocha à beira do gramadoTécnico Júnior Rocha à beira do gramado - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A ordem do técnico Júnior Rocha é “reclamar menos e trabalhar mais”. A falta de vitórias na temporada é motivo de preocupação nas Repúblicas Independentes do Arruda. Não há desespero, mas o sinal de alerta está ligado no Santa Cruz. Isso porque o clube acumula três empates, em todos eles saiu na frente e cedeu o resultado, e uma derrota em quatros jogos disputados até agora. Com quatro dias para se preparar para a estreia na Copa do Brasil, contra o Fluminense de Feira/BA, fora de casa, na próxima quarta-feira (31), o elenco mira a recuperação para encerrar o incômodo jejum e ganhar confiança.

“Agora só resta trabalhar. Precisamos reverter a situação e temos que treinar para que isso aconteça. A torcida tem que cobrar mesmo”, afirmou o meia Jeremias. O goleiro Tiago Machowski endossou as palavras do companheiro. “Não podemos baixar a cabeça. Estamos procurando acertar a equipe para vencer”, disse.

Apreensivo com a pressão nesse início de trabalho, o treinador tricolor cobrou personalidade de seus comandados. “Não tenho o que reclamar dos atletas, que estão se comprometendo no dia a dia. O problema é o psicológico, que tem atrapalhado. A batalha é dura, mas vamos chegar lá. Não podemos baixar a guarda. Futebol é feito no dia a dia”, declarou.

Além de prometer alterações no time para a próxima partida, Júnior Rocha vai trabalhar o lado emocional dos jogadores para que eles suportem os momentos de tensão durante os 90 minutos. “Temos que mudar alguma coisa e vamos tomar nossas providências. Trabalhar mais e reclamar menos. Está sendo difícil reconstruir o clube, que não anda com uma fama boa. E atrapalha no campo. Precisamos achar alternativas para segurar essa pressão. Mudar o modelo de jogo? Não sei. Outro tipo de jogo? Jogar por uma bola, talvez”, adiantou.

Reforços

O Santa contratou 18 reforços até então para a temporada 2018, mas a chegada de novas caras ainda é esperada para a sequência das competições. A diretoria tricolor ainda busca mais três jogadores: um lateral-esquerdo e dois atacantes, sendo um centroavante e um ponta.“Temos nossas carências e estamos atrás de algumas peças. Isso faz parte de uma remontagem, de uma reconstrução”, avisou Júnior Rocha.

O Tricolor anunciou oficialmente as seguintes contratações: goleiros Tiago Machowski e Ricardo Ernesto; os zagueiros Renato Silveira, Augusto Silva e Genílson; o lateral-esquerdo Paulo Henrique; o lateral-direito Rafinha; os volantes Jorginho, Jefferson Silva, Ilaílson e Luiz Otávio; os meias Arthur Rezende, Daniel Sobralense, Héricles e Geovani; os atacantes Robinho, Robinho Mota e Vinícius.

Veja também

Sport renova esperança por dias melhores após estreia no Brasileirão
FUTEBOL

Sport renova esperança por dias melhores após estreia no Brasileirão

Santa deve ficar alerta para disparidade entre ataque e defesa
FUTEBOL

Santa deve ficar alerta para disparidade entre ataque e defesa