Trabalho psicológico e promessa de mudanças no Santa

Técnico Júnior Rocha deve promover alterações na equipe para a estreia na Copa do Brasil, contra o Fluminense/BA

Atacante RobinhoAtacante Robinho - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Com três empates e uma derrota nesse início de trabalho, o técnico Júnior Rocha está incomodado com o jejum de vitória na temporada. Após o novo tropeço no Arruda – empate em 1x1 com o Central, pela 3ª rodada do Campeonato Pernambucano –, ele prometeu mudanças na equipe, mas antes tem a tarefa de trabalhar o lado psicológico do time, que não tem conseguido segurar a vantagem durante as partidas. O Santa Cruz, por exemplo, saiu três vezes na frente em quatro jogos e acabou cedendo o resultado ao adversário.

Leia também: 

Júnior Rocha reitera necessidade de novos reforços 

Preocupado com pressão, Júnior Rocha pede personalidade

Santa frustra torcida, empata no Arruda e sai vaiado 

Com jejum de vitória, tricolores lamentam novo tropeço 

Para o treinador, o emocional dos jogadores está sendo afetado pela pressão, influenciando até na parte física. “Temos que mudar alguma coisa e vamos tomar nossas providências. Trabalhar mais e reclamar menos. Está sendo difícil reconstruir o clube, que não anda com uma fama boa. E atrapalha no campo. Precisamos achar alternativas para segurar essa pressão. Mudar o modelo de jogo? Não sei. Outro tipo de jogo? Jogar por uma bola, talvez”, declarou o comandante tricolor.

Como só volta a campo na próxima quarta-feira (31), o Santa tem quatro dias de preparação para a partida contra o Fluminense de Feira/BA, fora de casa, pela 1ª fase da Copa do Brasil. A tendência é que o meia Daniel Sobralense e o atacante Augusto sejam liberados pelo departamento médico e fiquem à disposição do técnico Júnior Rocha. O elenco coral retorna ao batente neste sábado (27), no Arruda.

Veja também

Filho de Victor Rangel recebe alta da UTI
Futebol

Filho de Victor Rangel recebe alta da UTI

Executivo de futebol explica modelo de trabalho que será montado no Náutico
Futebol

Executivo de futebol explica modelo de trabalho que será montado no Náutico