Tradição em alta valoriza disputa do Nordestão

Campeão em 2016, Santa reedita final contra o Campinense amanhã e ainda fará clássico contra o Náutico

Torneio regional começa hoje contando com quase todos os vencedores. Exceção é a ausência do CearáTorneio regional começa hoje contando com quase todos os vencedores. Exceção é a ausência do Ceará - Foto: Anderson Stevens/arquivo folha

 

O maior torneio da região começa hoje. A Copa do Nordeste 2017 chega para a alegria do torcedor nordestino e só termina no dia 24 de maio, data prevista para o jogo de volta da grande final. Na quarta edição deste novo modelo do Nordestão, muita tradição e quase todos os vencedores presentes. De todos os campeões do torneio, apenas o Ceará não se classificou, após campanha ruim no Estadual do ano passado. Em Pernambuco, representantes de peso entrarão em campo, com o Santa Cruz defendendo o títu­­­­lo, Náutico de volta e o Sport na disputa da competição.

Repetindo o modelo de 2015 e 2016, que teve a inclusão de equipes do Maranhão e do Piauí, a Copa do Nordeste será disputada por 20 equipes, divididas em cinco grupos com quatro em cada. Avançam os líderes de cada chave e os três melhores segundos colocados, formando assim as quartas de final. A partir daí, serão jogos mata-mata, com partidas de ida e volta, inclusive na final do torneio.

A premiação para o vencedor também aumentou. Em relação ao ano passado, houve um aumento de cerca de 500 mil na premiação para o vencedor. Quem conquistar a taça de campeão do Nordeste, levará R$ 2,85 milhões (R$ 2,58 milhões para representantes do Maranhão e Piauí). O vice, por sua vez, terá “na mão” R$ 2,15 milhões (R$ 1,88 milhão para maranhenses e piauienses). Os semifinalistas receberão R$ 1,6 milhão (Maranhão e Piauí: R$ 1,33 milhão), enquanto que os times que forem até as quartas recebem aproximadamente R$1 milhão. As equipes que ficarem na primeira fase receberão R$ 600 mil e R$300 mil, a depender do estado.

Sem sul-americana
Outra mudança significativa na Copa do Nordeste foi na vaga concedida ao vencedor. Após as mudanças da Conmebol no sistema de classificação para a Libertadores, o campeão do Nordeste agora receberá uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2018, assim como aconteceu com o Santa Cruz para a “Sula” deste ano.

CONFIRA UMA ANÁLISE DOS GRUPOS DA COPA DO NORDESTE:

Grupo A

Campinense/PB
Náutico/PE
Santa Cruz/PE
Uniclinic/CE

O grupo que reúne dois dos três pernambucanos do torneio também traz um estreante e um campeão do Nordeste. O Campinense, vencedor da edição de 2013 e vice-campeão em 2016 irá reencontrar o Santa Cruz. Como se já não bastasse a reedição da final, a Raposa também possui alguns jogadores conhecidos da torcida pernambucana. Ela contará com o lateral-esquerdo Renatinho, que saiu recentemente do Arruda, com o goleiro Glédson e o volante Negretti, ambos com passagem pelo Náutico. Além deles, Sérgio China, que chegou a treinar o Serra Talhada este ano no Pernambucano, comanda o time paraibano.

O Uniclinic, por sua vez, chega para a sua primeira disputa de Nordestão. O clube do Ceará, de apenas 19 anos, conseguiu desbancar equipes mais tradicionais como o Guarani de Juazeiro para chegar à final do Campeonato Cearense de 2016. Apesar da derrota para o Fortaleza, a vaga para seu primeiro torneio regional foi garantida. Porém, por conta de dificuldades financeiras, Uniclinic quase desistiu de disputar a competição. A equipe comandada por Vladmir de Jesus, porém, terá uma tarefa ainda maior que o sucesso no estadual, ao enfrentar dois dos maiores clubes do Nordeste. Para superar este desafio, a Águia da Precabura confia nos gols de Édson Cariús, destaque da equipe no Campeonato Cearense 2017.

Grupo B

Bahia/BA
Fortaleza/CE
Moto Club/MA
Altos/PI

Outro grupo com equipe estreante, o B também reúne equipes de muita tradição, como Bahia e Fortaleza, além do retorno do Moto Club após ficar de fora em 2016. O Bahia conseguiu um acesso para a Série A do Brasileiro, e vem mais forte para este ano. A frustração de ser eliminado dentro de casa para o Santa Cruz nas semifinais tentará ser superada pela equipe comandada por Guto Ferreira. Entre os destaques, a chegada do volante argentino Allione, ex-Palmeiras e o atacante Hernane Brocador, vice-artilheiro da edição passada.

No Fortaleza, a moral está em alta em 2017. O ano de 2016 não foi muito bom para o Leão, após cair novamente nas quartas de final da Série C. Mas este ano, uma vitória em cima do Ceará no Clássico-Rei animou o time de Hemerson Maria. Entre os nomes do plantel tricolor, vários conhecidos, principalmente do Santa Cruz: o lateral-esquerdo Allan Vieira e o meio-campo Cássio Ortega, além de Gastón Filgueira, ex-Náutico.

Na briga por uma das vagas, o Moto Club não começou muito bem em 2017. Um tropeço contra o Cordino, no Campeonato Maranhense, não foi um bom sinal para a equipe de Ruy Scarpino. Para derrubar as defesas de Bahia, Fortaleza e Altos, o Moto terá de confiar em Valdanes, esperança de gols da equipe de São Luís, além de Felipe Dias, volante revelado no Flamengo.

Entre os gigantes, a Associação Atlética de Altos, do Piauí, estreia na Copa do Nordeste. Localizado na cidade homônima, que fica a 40 quilômetros de Teresina, o time foi bem na temporada passada, quando foi vice-campeão estadual e avançou até as quartas de final da Série D. Agora, sem Carlinhos Bala, que atuou pelo time em 2016, o clube da pequena cidade de 38 mil habitantes tentará fazer história passando de fase no Nordestão. E para realizar esta história, um nome pode ser destaque: o atacante Manoel, que marcou dez gols na Série D, e que permanece no clube para o regional. O clube ainda mandará seus jogos em Teresina, no Estádio Lindolfo Monteiro, pois seu estádio, o Municipal Felipe Raulino, comporta apenas 3 mil pessoas.

Grupo C

Juazeirense/BA
Ríver/PI
Sampaio Corrêa/MA
Sport/PE

Sem enfrentar adversários do mesmo estado, o Sport terá que enfrentar longas viagens no grupo C da Copa do Nordeste. O clube pernambucano terá que jogar em cidades como São Luís, no Maranhão (1.600km aproximadamente), Teresina, no Piauí (1.200km aproximadamente) e Juazeiro, na Bahia (720km aproximadamente). Além da dificuldade fora de campo, o Leão irá enfrentar equipes que são resistentes dentro de casa. O Ríver é o maior exemplo disso. O clube piauiense dificultou a vida dos rubro-negros em 2015, com um empate por 2x2 no Albertão, em Teresina.

Para este ano, o campeão do Piauí, comandado por Waldemar Lemos, tem um reforço conhecido no cenário nacional. O atacante Rodrigo Tiuí, ex-Fluminense, disputará o Nordestão pelo Galo Carijó. No Maranhão, o Sampaio tenta se reconstruir após ser rebaixado na Série B em 2016. Para isso, o time de Vinícius Saldanha tenta um recomeço com um time jovem, com destaque para o atacante Henrique, que marcou dois gols na estreia do Maranhense. Correndo por fora no grupo, a Juazeirense finalmente poderá jogar em seu estádio, o Adauto Moraes, que passou por reformas em 2016. Dentro de campo, o experiente lateral Ávine, ex-Bahia, lidera a equipe treinada por Barbosinha.

Grupo D

ABC/RN
CRB/AL
CSA/AL
Itabaiana/SE

Com dois representantes alagoanos, o grupo D terá garantia de emoção logo na primeira fase, com o clássico entre CRB e CSA. No lado azul de Maceió, apesar de ter perdido a final do estadual para o maior rival, o acesso para a Série C elevou os ânimos do Centro Sportivo Alagoano, que retorna ao Nordestão após não ter disputado em 2016. Entre os destaques do time de Oliveira Canindé, campeão em 2013 com o Campinense, estão o meio-campo Didira e o atacante Thiago Potiguar.

O Galo da Pajuçara, por sua vez, ficou bem próximo do acesso à Série A, mas perdeu fôlego no fim do campeonato. Com o jovem Léo Condé no comando, o CRB tem como principal arma o faro de gol de Neto Baiano, campeão em 2014 com o Sport. Além dele, o time ainda conta com a experiência do meia Sérgio Mota e do zagueiro Flávio Boaventura.

Um dos favoritos a avançar de fase é o ABC. Com um ótimo ano de 2016, após o acesso para a Série B, o alvinegro de Natal chega com moral para 2017 após ganhar o clássico contra o América de Natal por 1x0. O destaque daquela partida, e que pode ser decisivo na fase de grupos foi o goleiro Edson, que pegou um pênalti nos minutos finais. Além dele, sob o comando de Geninho, há também o volante Anderson Pedra, ex-Santa Cruz e Sport.

O candidato à zebra do grupo é o Itabaiana. O clube sergipano desbancou o tradicional Confiança, e chegou à final do estadual em 2016, com destaque para os gols de Paulinho Macaíba. Em 2017, com bom começo no Campeonato Sergipano, o Tremendão da Serra possui um time mais experiente sob o comando do técnico Ailton Silva. Paulinho Macaíba permaneceu, e outros nomes conhecidos do futebol nordestino como o atacante Thomas Anderson, ex-Santa Cruz e o também atacante Fabinho Cambalhota completam o elenco.

Grupo E

Vitória/BA
América/RN
Botafogo/PB
Sergipe/SE

Este é o grupo que reúne mais títulos na Copa do Nordeste neste ano. O América possui uma conquista, em 1998, enquanto que o Vitória tem cinco. Porém, apenas o Leão Baiano vive tempos prósperos entre os quatro da chave. Isto porque, o clube de Natal, um ano após seu centenário, foi rebaixado para a Série D do Brasileiro. Tentando se reconstruir, o Dragão tem um elenco experiente, com a presença do atacante Daniel Morais, ex-Náutico. Já o Vitória é o grande favorito, mesmo sem Marinho, inclusive para vencer a competição. Depois de se manter na Série A do Brasileirão, os rubro-negros se reforçaram, trazendo os meias Dátolo, ex-Atlético/MG e Gabriel Xavier, ex-Sport. Tudo sob o comando de Argel Fucks.

Os dois candidatos à zebras do grupo são Botafogo e Sergipe. O "Gipão" volta ao Nordestão após três anos, e tentará surpreender os mais fortes. Para isso, conta com o bom Wallace Pernambucano, que trocou o Confiança pelo rival de Aracaju. Já o Belo fez uma boa temporada de 2016, passando perto de ir para a Série B, e vem com força total para 2016. O destaque é o experiente goleiro Michel Alves, de 35 anos, que jogou no Internacional.

 

Veja também

Empresário Josenildo Dody confirma pré-candidatura à presidência do Santa Cruz
Eleições

Empresário Josenildo Dody confirma pré-candidatura à presidência do Santa Cruz

Aos 43, Tom Brady está a um jogo do primeiro Super Bowl em nova casa
NFL

Aos 43, Tom Brady está a um jogo do primeiro Super Bowl em nova casa