Trio de Ferro com foco no traba­lho para formar as suas próprias joias

Concluída a Copinha para os pernambucanos, clubes alçam ao pelotão de frente 14 jogadores que se destacaram

Defesa, setor do qual Thawan faz parte, tomou apenas um gol na Copa São PauloDefesa, setor do qual Thawan faz parte, tomou apenas um gol na Copa São Paulo - Foto: Bruno Campos

 

Plantar, desenvolver e co­lher. No “pomar da bo­la” pernambucano, o grande defeito parece ser a hora certa de fazer a colheita do fruto e não danificá-lo. Com o desenvolvimento satisfatório nas estruturas dos centros de treinamento de Náutico e Sport - o Santa Cruz ainda está atrasado nes­te processo -, a plantação é cada vez mais vasta, com vários jovens treinando e até mesmo com hotéis disponíveis para dormir no lo­cal, mostrando a evolução da estrutura.

Com os devidos apertos financeiros para o que almejam, bater de frente com a concorrência pesada do mercado imposto pelo eixo Sul-Sudeste é cada vez mais desgastante. Como solução, o Trio de Ferro tem foca­do cada vez mais no traba­lho para formar as suas próprias joias. E a Copa São Pau­lo de Futebol Júnior, que ain­da esta sendo realizada, foi o termômetro do que se pode extrair nesta temporada.

Na Praça da Bandeira, sete atletas foram promovidos ao profissional. O goleiro Lu­cas, o zagueiro Adryelson, o lateral-esquerdo Caio, o volante Fabrício (volante), o meia Pardal e os atacan­tes Juninho e Wallace fa­zem do Leão o que mais aproveitou atletas para o seu elenco principal. Eliminados na terceira fase da Copa SP, três desses jogadores já tiveram chance no time de cima, como Adryelson, Juni­nho e Wallace. Acompanhan­do de perto esses garotos, o treinador Daniel Paulista já deixou claro que to­dos terão chance neste ano. “É hora de se preparar, pois a oportunidade vai aparecer na hora certa e eles precisarão estar prontos para agarrá-la”, afirmou o técnico.

Ser eliminado na terceira fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior não estava nos planos da garotada do Náutico. Mas, para quatro jo­gadores, o saldo da competição foi positivo. O goleiro Sérgio, o zagueiro Feliphe Gabriel e os atacantes Gerônimo e Erick foram integrados nesta semana ao elenco profissional do clube, treinando sob o comando de Dado Cavalcanti.

Titular na Copinha, Sérgio por pouco não foi o herói alvirrubro na disputa de penalidades contra o Mirassol. Ele pegou uma das cobranças, mas não evitou a eliminação do Timbu. No time principal, ele terá a companhia de um dos reforços mais importantes do clube na temporada, o goleiro Tia­go Cardoso. Já Feliphe Gabriel integra a base alvirrubra desde 2014 e terá forte concorrência no setor, que conta com Adalberto, Tiago Alves, Ewerton Páscoa e Nirley.

Ambos com 19 anos, Gerônimo e Erick foram os destaques do Náutico no torneio. O primeiro passou a fazer parte do sub-20 do clu­be em 2015 e chegou a ser em­prestado no ano passado ao Vasco. Já Erick foi o artilheiro do Timbu na Copinha, com quatro gols marcados. Além deles, a equipe pernambucana conta no ataque com Juninho, Alison, Anselmo, William Silva e Giva.

No caso do Santa Cruz, o aproveitamento foi menor em relação aos rivais. Tanto na competição de base quanto no número de atletas promo­vidos ao elenco profissio­nal. Foram três destaques aproveitados: o goleiro Lu­cas, de 19 anos, o zagueiro Thawan, 19, e o volante Otávio, 18. Entretanto, a defesa, se­tor do qual faz parte o trio de revelações, sofreu apenas um gol na primeira fase do torneio, mantendo a retaguarda sem furos durante as duas primeiras rodadas. Desempenho que não salvou o Tricolor das subsequen­tes derrotas e eliminação, mas que foi o suficiente para que eles conquistassem o voto de confiança da co­missão técnica liderada pelo treinador Vinícius Eutrópio.

Todos já haviam ao menos participado de alguma atividade junto aos profissionais, mas, agora, a situação é outra. Eles estão fixados no grupo até segunda ordem. Devido às opções no elenco, todos têm chances reduzidas de atuar oficialmente, em especial Lucas, que tem Júlio César como titular absoluto na meta coral. Mas o pensamento do atleta resume bem o sentimento que predomina entre os promovidos: “Vou trabalhar, respeitar e aprender. Chego com a expectativa de ganhar o respaldo do treinador e, aos poucos, cavar meu espaço”. É assim que os talentos corais compreendem a oportunidade.

 

Veja também

Alexandre Gallo será o novo técnico do Santa Cruz
Santa Cruz

Alexandre Gallo será o novo técnico do Santa Cruz

Após eliminação, Roberto de Jesus afirma que optou por 'time mais avançado' e explica alterações
Santa Cruz

Após eliminação, Roberto de Jesus afirma que optou por 'time mais avançado' e explica alterações