Uninassau defende vantagem no 2º round das finais da LBF

Após vitória no primeiro jogo, pernambucanas voltam a enfrentar o Corinthians/Americana, em São Paulo

Lance do Jogo 1 pela série final da LBF entre Uninassau Basquete e Corinthians/Pague Menos/AmericanaLance do Jogo 1 pela série final da LBF entre Uninassau Basquete e Corinthians/Pague Menos/Americana - Foto: Marcello Zambrana/LBF

O primeiro passo foi dado, mas, para levantar o título da edição 2016/2017 da Liga de Basquete Feminino (LBF), a Uninassau ainda tem um difícil caminho a percorrer e, por isso, todo cuidado é pouco. O time do técnico Robreto Dornelas volta à quadra nesta segunda-feira (24) à noite, na segunda partida da série final em sistema melhor de cinco jogos (2-2-1) contra o Corinthians/Americana/SP. O duelo acontece novamente no Centro Cívico, em Americana, às 21h30, com transmissão do SporTV.

A vitória do time pernambucano no primeiro jogo, sábado, por 73x62, inverteu a vantagem do mando de quadra. Como as paulistas fizeram melhor campanha na primeira fase, tinham o benefício de abrir a final com dois jogos em casa e, teoricamente, partir em vantagem para os compromissos no Recife. A vitória da Uninassau em São Paulo, contudo, fez essa vantagem mudar de lado, uma vez que a série virá para o Recife após a partida desta noite. Caso vença novamente hoje, a equipe local ficará a uma vitória do título, tendo a chance de fazer dois jogos em casa. Se perder, continuará com a vantagem de reverter a situação dentro dos seus domínios, já que jogará no Sesc de Santo Amaro.

“Ficamos felizes pela vitória, mas não ganhamos nada. Temos muito caminho pela frente ainda no campeonato. Nosso time vem em uma crescente e temos que continuar evoluindo para vencer a LBF”, comentou a ala Tati Pacheco, da Uninassau.

Na primeira partida da série final, a defesa da Uninassau fez a diferença. Firme e agressiva, gerou desconforto na armação das jogadas de ataque do Corinthians. Ao tumultuar o garrafão, forçou as paulistas a arremessarem mais de longa distância, aumentando o índice de erros - foram 21 lances de fora do perímetro, com apenas quatro acertos. Junto a isso, contou com um jogo de transição rápido capitaneado pela cubana Ineidis Casanova, destaque no duelo com 24 pontos, oito rebotes e cinco assistências.

O objetivo do time pernambucano é justamente manter essa solidez defensiva, sabendo que as adversárias buscarão alternativas para fugir dessa retranca, e fazer contra golpes eficientes. Experiente, o técnico do Corinthians, Antônio Vendramini, mostrou confiança em reverter a situação. “Temos que mudar a atitude, mostrar um trabalho defensivo melhor e estar mais ligado para ter uma transição também melhor. Tenho completa convicção que minha equipe consegue voltar na série”, disse.

Veja também

Japão prevê 10.000 médicos e enfermeiros para Jogos Olímpicos
Olimpíadas

Japão prevê 10.000 médicos e enfermeiros para Jogos Olímpicos

Equipe do Sesi/SP tem período de treinos no Parque Santos Dumont
Natação

Equipe do Sesi/SP tem período de treinos no Parque Santos Dumont