A-A+

Santa Cruz

Vice de futebol pede desculpas à torcida, mas acredita em permanência

Em pronunciamento, Alexandre Mirinda revelou cobrança ao elenco, para honrar tradição e história do Santa Cruz nas rodadas finais, independente do resultado

Alexandre Mirinda, vice-presidente de futebol do Santa CruzAlexandre Mirinda, vice-presidente de futebol do Santa Cruz - Foto: Reprodução/TV Coral

Após a derrota sofrida em casa para o Altos, no último sábado (11), o Santa Cruz se viu ainda mais próximo do pior dos cenários para a temporada 2021, indo para as duas rodadas finais com apenas 0,2% de chance de permanência (segundo cálculos do site Chance de Gol). Após dois dias de silêncio da alta cúpula da diretoria coral, o vice-presidente de futebol do clube, Alexandre Mirinda, quebrou o silêncio na tarde desta segunda-feira (13) e fez um pronunciamento à torcida, como um "adiantamento de pedido de desculpas", mas também revelando a cobrança feita ao elenco para honrar a camisa tricolor nos últimos jogos e também afirmando que, mesmo com as chances remotas, continua acreditando na permanência. 

Mirinda iniciou o pronunciamento destacando o momento difícil que o clube atravessa no momento e revelou a cobrança feita ao elenco, na reapresentação desta segunda-feira, para que honrem a camisa do Santa Cruz, ressaltando a história e a tradição do clube. 

"O fim de semana foi de muito choro, sem dúvida, de muita tristeza para todos nós. Porque antes de ser vice-presidente de Futebol, eu sou torcedor do Santa Cruz e por isso que fiz questão de estar presente hoje, na reapresentação do elenco, cobrando essa responsabilidade com essa camisa, que tem história, títulos conquistados e acima de tudo, tem uma legião espalhada pelo Brasil e fora dele, de torcedores", disse. 

Mirinda destacou o contexto que vivia o clube, no momento em que assumiu o cargo na diretoria de futebol e exaltou o "início promissor" do segundo turno, mas reconheceu que os resultados foram insuficientes e aproveitou para pedir desculpas de não poder ter conseguido reverter a situação. 

"Lutamos com todas as forças, não foi trabalho de um homem só, aceitei o desafio de assumir esse cargo no início da segunda fase dessa competição. O início foi até promissor, porque conseguimos em cinco jogos, uma derrota, dois empates e duas vitórias, que até então não havíamos conquistado, mas isso não foi suficiente, para hoje eu chegar aqui e dizer para o nosso torcedor, que as chances estariam meio a meio, ou 70% de chance para o Santa Cruz permanecer, mas não, é o inverso. É um adiantamento de um pedido de desculpas, de não ter tido essa capacidade de reverter esse quadro", afirmou.  

Apesar das chances serem remotas, o VP de futebol tricolor revelou que segue acreditando na permanência e que não vai aceitar um comportamento diferente do elenco, que não seja de honrar a camisa do Santa Cruz e lutar até o final e que o respeito ao clube se mantenha até o fim da competição, mesmo se os resultados já rebaixarem o Tricolor na próxima rodada. 

"Continuo me agarrando, até pela minha profissão, que sou engenheiro de formação, de que se existe chance, vamos lutar até o fim. No mínimo, isso eu disse para todo o elenco. Não vou aceitar que não honrem a camisa do Santa Cruz. Quem não entrar em campo no próximo domingo, sem respeitar essa tradição da história do Santa Cruz, isso eu não vou aceitar. Vou cobrar como sempre cobrei as vitórias. E se acontecer dos resultados paralelos nos eliminarmos para a Série D, vamos entrar contra o Botafogo, no Arruda, respeitando a história do Santa Cruz. Isso é o mínimo que esse grupo de atletas e nós, que fazemos parte da diretoria, temos que ter a hombridade e a certeza de honrar as cores do Santa Cruz", destacou.

Mirinda encerrou o pronunciamento destacando a máxima de que o futebol não se vence apenas dentro de campo. O vice-presidente de futebol reforçou o pedido de desculpas à torcida, afirmando que é preciso ter o reconhecimento do erro e a humildade para "seguir aprendendo", mas que todos sabem da grandeza e da história do Santa Cruz. 

"Aprendi muito com os companheiros que estavam no nosso lado nessa luta, estou aprendendo sempre. Futebol não se ganha só dentro das quatro linhas, tem que ter todo um trabalho fora de campo. Lutamos, fazendo o possível e o impossível, para colocar o trem nos trilhos, mas apesar de todo esse esforço, os resultados não aconteceram. E a vida é feita para os vitoriosos, não adianta. Às vezes se faz tudo errado, e a vitória chega, mas tem vezes que você faz tudo teoricamente correto, e a vitória não chega. Aí você tem que ter o reconhecimento de pedir desculpas, ter humildade para continuar aprendendo e é vida que segue. Mas não é vida que segue sem honrar essa camisa, não. Nisso, nós que fazemos a diretoria do Santa Cruz, que sabemos da grandeza desse clube, da história e principalmente, em respeito à maior torcida do norte-nordeste, cobramos hoje, na reapresentação de todos os atletas e comissão técnica, que não vamos admitir que isso aconteça", concluiu.

Veja também

'O objetivo desse jogo era fazer observações', comenta Roberto Fernandes, após despedida da Série C
Santa Cruz

'O objetivo desse jogo era fazer observações', comenta Roberto Fernandes, após despedida da Série C

No adeus à Série C, Santa Cruz empata com o Botafogo/PB, na Arena de Pernambuco
Série C

No adeus à Série C, Santa Cruz empata com o Botafogo/PB, na Arena de Pernambuco