Vice-presidente do Santa detona Comissão de Arbitragem

Na bronca, clube aciona CBF para contestar atuação de árbitros, considerada dentro da normalidade para Conaf

Presidente Constantino JúniorPresidente Constantino Júnior - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Os erros da arbitragem contra o Santa Cruz nas últimas partidas deixaram a diretoria revoltada. Os questionamentos foram mais pesados após o empate em 1x1 com o Brasil de Pelotas, no Rio Grande do Sul, na rodada passada. Na ocasião, acabou prejudicado com uma marcação de um pênalti inexistente, além de queixar-se de um lance em que a bola bateu na mão do adversário dentro da área, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

Antes disso, o Tricolor já havia sido alvo de deslizes dos árbitros. Diante do Londrina/PR, pela 25ª rodada, um pênalti não marcado ainda no primeiro tempo quando o placar estava 0x0. O confronto terminou empatado em 1x1, no estádio do Café. Na derrota para o América/MG por 1x0, no Arruda, pela 28ª rodada, foi a vez do assistente anular um gol de Anderson Salles, acusando impedimento do zagueiro.

Leia também: 

Santa fará confrontos diretos seguidos em casa 

Não importa como, mas o Santa tem que voltar vencer  

Diante de tantos erros, a direção coral entrou com uma representação contra a arbitragem na Federação Pernambucana (FPF) e na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), segundo informações apuradas pela reportagem da Folha de Pernambuco. Inclusive, o presidente Alírio Moraes foi ao Rio de Janeiro para fazer contestações sobre o assunto.

O presidente da FPF, Evandro Carvalho, fez reclamações junto à Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf) como uma maneira de expressar o sentimento de indignação. “O que a nossa entidade pode fazer é uma representação para reivindicar os lances. Fora isso, não podemos fazer mais nada. Inclusive, recebi a resposta deles sobre os lances. Eles consideraram como marcações corretas. Houve penalidade e não teve pênalti para o Santa Cruz”, simplificou o mandatário.

Irritado, o vice-presidente Constantino Júnior detonou a comissão de arbitragem. “Vejo um cooperativismo (entre eles). Não existe senso. Eles não valem nada e estão brigando contra as imagens. Não queremos ser ajudados, mas estamos sendo prejudicados. Lutamos pelo justo. Nossa briga é pelo que é certo”, disparou o dirigente, que ainda rasgou o verbo contra o árbitro Marcos Mateus Pereira, do Mato Grosso, pivô da polêmica mais recente. “Escalaram um profissional que mostrou ser frouxo.”

O técnico Marcelo Martelotte e o elenco também ficaram na bronca com as falhas do árbitro. “Confesso que é desmotivante. Sofrer esses resultados com erros de arbitragem é complicado. Isso tem acontecido”, lamentou o treinador. O atacante Grafite não poupou críticas. “Os equívocos da arbitragem foram prejudiciais pra nós”, disse. Derley fez coro ao camisa 23. “É vergonhoso e uma covardia o que fizeram com a gente, mas nós não podemos reclamar e nem falar nada. É difícil”, emendou.

Segundo o zagueiro Guilherme Mattis, o atacante Juninho, do Brasil de Pelotas, assumiu que não houve penalidade. “O menino que sofreu o pênalti falou que não teve nada”, comentou. O goleiro Julio Cesar e Anderson Salles também protestaram. “O juiz ia dar falta a favor do nosso time e deu pênalti para eles. Já tiveram lances assim contra a gente. Assim fica difícil”, declarou o camisa 1. “É complicado jogar assim. Eles só erram contra a gente”, encerrou o defensor.

Veja também

“Não dá tempo para lamentar, não pode abaixar a cabeça”, diz Jair Ventura após derrota do Sport
Sport

“Não dá tempo para lamentar, não pode abaixar a cabeça”, diz Jair Ventura após derrota do Sport

Após nova intervenção decisiva do VAR, Sport perde no Rio para o Fluminense por 1 a 0
Sport

Após nova intervenção decisiva do VAR, Sport perde no Rio para o Fluminense por 1 a 0