Vítor revela desejo de ficar no Santa e relembra superações

Experiente lateral-direito, de 36 anos, Vítor não esconde vontade de renovar contrato para 2019 e comenta sobre passado e presente

Vítor na partida contra o Operário/PRVítor na partida contra o Operário/PR - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

 

Herói da vitória por 1x0 sobre o Operário/PR, no Arruda, o lateral-direito Vítor salvou o Santa Cruz com o primeiro gol de falta da carreira. Aos 36 anos, o veterano defende o Tricolor há quatro anos e pretende jogar em 2019. Mesmo comentando pouco sobre o que projeta para a próxima temporada, em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (20), ele não escondeu o desejo de permanecer no clube.

“Meu pensamento é de jogar mais um ano. Eu tenho vontade de continuar aqui, mas eu não sei o que vai acontecer daqui pra frente. Assim como eu, minha família está muito bem adaptada no Recife e também ao clube. Mas antes tenho que cumprir o objetivo de 2018, que é conquistar o acesso”, revelou o experiente atleta, que já subiu com o Santa para a Série B em 2015 e também foi campeão pernambucano e da Copa do Nordeste no ano de 2016.

No Arruda deste 2015, Vítor já jogou 107 partidas com a camisa do Santa Cruz e marcou cinco gols. No ano passado, logo na primeira rodada da Série B, no dia 13 de maio, o lateral-direito sofreu uma lesão grave e fraturou a tíbia. Como precisou passar por cirurgia, ele ficou quase seis meses em tratamento, mas conseguiu se recuperar antes do tempo previsto pelo departamento médico do clube. Inclusive, voltou a atuar ainda em 2017 e entrou no decorrer da última rodada do Brasileirão. Nesta temporada, foram 27 jogos e dois tentos marcados.

“A lesão foi a maior dificuldade que eu tive no Santa Cruz, mas desde pequeno já enfrentava problemas difíceis. Tinha certeza que mesmo com a lesão eu conseguiria voltar mais forte. Já vivi momentos piores. Então, aquilo não iria me atrapalhar em nada. Apesar da idade, com cinco meses já estava treinando normal com o elenco no ano passado e ainda joguei. Tudo é aprendizado”, declarou.

 

Veja também

Às vésperas de decisões dentro e fora de campo, Nei Pandolfo tenta construir elenco de 2021
Santa Cruz

Às vésperas de decisões dentro e fora de campo, Nei Pandolfo tenta construir elenco de 2021

Bandeira e outros dez viram réus por incêndio no CT do Flamengo
Incêndio no Ninho

Bandeira e outros dez viram réus por incêndio no CT do Flamengo