William Alves admite ansiedade para selar reencontro com os gramados

Ao todo, o zagueiro tricolor disputou 16 jogos e marcou um tento antes da paralisação do futebol, devido à pandemia do novo coronavírus

William Alves, zagueiro do Santa CruzWilliam Alves, zagueiro do Santa Cruz - Foto: Alexandre Aroeira/Espec. para Folha de Pernam

São exatos dois meses e 15 dias longe do agito do Arruda, desde o último jogo com a presença do público, perante o Botafogo/PB, pela sétima rodada da Copa do Nordeste, no dia 12 de março. Sem o som ruído que ecoa das arquibancadas, sem baterias, bandas, palmas e vários outros rituais que são expressados enquanto o time se prepara para entrar em campo, os atletas se apegam ao quesito pragmático do futebol: o trabalho exercido dentro das quatro linhas. Questão exaltada pelo zagueiro William Alves do Santa Cruz, que em entrevista à Folha de Pernambuco, contou estar ansioso para voltar à retaguarda defensiva coral.

“A ansiedade é grande. No começo (da quarentena) era mais difícil, agora a gente acabou se acostumando um pouco. Mas sentimos muita falta de estar trabalhando, de ter a normalidade da nossa vida, e esperamos que tudo isso passe o mais rápido possível, que possamos trabalhar em segurança, que o futebol volte a ser o que era, e as pessoas também possam voltar aos seus trabalhos e à vida ao normal”.

Leia também:
Santa projeta voltar aos treinos antes de divulgação da data dos jogos
Mudou: Santa x Portuguesa será jogo reprisado no domingo
Em tom saudoso, João Paulo abre possibilidade de um dia retornar ao Santa

Enquanto a bola ainda estava rolando, o Tricolor conseguiu se firmar na ponta da tabela do Estadual, com 22 pontos, e classificação garantida à semifinal. Foram apenas três gols levados, sendo a defesa menos vazada do Estadual. Número que conta com a participação ativa do defensor tricolor. São 16 jogos disputados e um gol marcado, sendo o atleta do elenco, ao lado do goleiro Maycon Cleiton, com mais minutos jogados no início de temporada (1470 minutos, ao todo). Segundo o zagueiro, o rendimento individual pode ser visto como reflexo do entrosamento com o companheiro de zaga e capitão da equipe, Danny Morais, e do trabalho coletivo.

“O trabalho que foi começado ainda na pré-temporada, em dezembro. O professor Itamar pega bem forte no quesito da marcação, de ter um sistema sólido defensivo, e é um ponto forte e positivo no trabalho dele. Temos encaixado algumas peças também. Eu e Danny (Morais) encaixamos e temos ajudado ao time não tomar tantos gols. O Maycon (Cleiton) também vive um bom momento, e tem contribuído com isso. O trabalho de toda a equipe tem ajudado e é o resultado deste começo de ano. Esperamos manter esses números e ter uma equipe equilibrada”.

A expectativa da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), é que os clubes possam voltar aos treinos na segunda quinzena de junho. Sobre o retorno do futebol, ainda indefinido, a entidade local espera poder acionar o Campeonato Pernambucano em julho, após a inter-temporada de 15 dias que as equipes locais terão direito. O Santa, por outro lado, planeja antecipar a volta aos treinos restritivos, em mais ou menos uma semana, após as autoridades sanitárias autorizarem o retorno, de modo que o clube consiga realizar cerca de 21 dias de trabalho físico e tático.

Veja também

“Não dá tempo para lamentar, não pode abaixar a cabeça”, diz Jair Ventura após derrota do Sport
Sport

“Não dá tempo para lamentar, não pode abaixar a cabeça”, diz Jair Ventura após derrota do Sport

Após nova intervenção decisiva do VAR, Sport perde no Rio para o Fluminense por 1 a 0
Sport

Após nova intervenção decisiva do VAR, Sport perde no Rio para o Fluminense por 1 a 0