Futebol

Zé Teodoro cita que quem está no Santa precisa aprender a "trabalhar na dificuldade"

Coordenador chegou ao clube para ajudar o treinador Marcelo Martelotte e ser um elo entre comissão técnica e diretoria

Elenco do Santa em trabalho no ArrudaElenco do Santa em trabalho no Arruda - Foto: Henrique Barros/Divulgação/SCFC

Pegar o Santa Cruz em uma fase difícil está longe de ser uma novidade para Zé Teodoro. Treinador do Tricolor em outras ocasiões, a maior novidade para o profissional em 2022 é a função em que ele estará trabalhando no clube. Depois de prestar serviços à beira do gramado, o antigo comandante retorna ao Arruda para assumir o posto de coordenador. Em comum, porém, o desejo de reerguer a Cobra Coral. 

“Juntos, eu e Martelotte (técnico) fizemos um trabalho positivo no passado e fomos convocados para essa nova missão. O importante é continuar dialogando com os jogadores, passando a experiência de tudo que já vivemos aqui para acrescentar. Quem trabalha no Santa Cruz precisa aprender a trabalhar na dificuldade. Estou fazendo uma nova função para colaborar o máximo. É totalmente diferente. Não vou participar da parte técnica e tática. Minha obrigação é trabalhar naquilo que o treinador necessita, sendo um elo, ajudando nas exigências e trabalhando com a diretoria”, afirmou. 

Zé Teodoro também evitou traçar semelhanças com o cenário atual em comparação ao de quando trabalhou no clube em anos anteriores. Ainda assim, frisou que a presença do Santa na quarta divisão, além do cenário financeiro, trazem uma preocupação a mais.  

“São dois momentos diferentes. Hoje, encontrei o clube com uma estrutura física melhor. A diferença é a situação de problemas financeiros que está vivendo. Um clube que saiu de um momento sem divisão até a Série A, mas que hoje se encontra na D. Isso requer uma atenção e equilíbrio para buscar o objetivo maior. Só os resultados podem ajudar. Viemos de uma crise difícil, mas o torcedor já provou que está acreditando e confiando no trabalho de transparência e honestidade”, frisou.



Nos últimos dias, o Santa Cruz teve a saída de dois atletas: o lateral Marcos Martins e o atacante Mateus Anderson. Mesmo com o técnico Marcelo Martelotte confiante de que o Tricolor não terá uma “debandada”, o coordenador frisou que o Tricolor está atento ao cenário e consciente de que terá que ir ao mercado para contratar mais peças. 

 “Se (o jogador) não estiver comprometido, temos que atender ao pedido dele e ir em busca de um substituto à altura. Ninguém é insubstituível”, declarou. 

Veja também

Tandara se defende de suspensão por doping: "condenada por algo que não fiz"
Vôlei

Tandara se defende de suspensão por doping: "condenada por algo que não fiz"

"Não tem para quê ter pressa", comenta Yuri Romão sobre pagamento da Salernitana ao Sport por Mikael
Futebol

"Não tem para quê ter pressa", comenta Yuri Romão sobre pagamento da Salernitana ao Sport por Mikael