Zenit vê má interpretação em caso de racismo contra Malcom

A frase em questão ("Obrigado dirigentes por acreditar na tradição") seria uma alusão irônica de um setor de torcedores, que durante a semana publicou em seu site um manifesto defendendo que a ausência de jogadores negros no Zenit seria um respeito às tra

Malcom teria sofrido racismo nesse domingo (4), quando torcedores do Zenit levantaram faixa irônica nas arquibancadasMalcom teria sofrido racismo nesse domingo (4), quando torcedores do Zenit levantaram faixa irônica nas arquibancadas - Foto: Reprodução/Twitter

O Zenit alegou que o significado da faixa exibida no domingo (4) por parte de sua torcida, no jogo contra o Krasnodar, foi mal interpretado, o que gerou "conclusões incorretas" em relação ao episódio de racismo contra o atacante brasileiro Malcom. Sem especificar qual seria o contexto correto para a faixa, o clube demonstrou "profundo pesar de que meios de comunicação tenham denunciado incorretamente o assunto". O Zenit ainda disse que sempre apoiou iniciativas antirracistas.

A frase em questão ("Obrigado dirigentes por acreditar na tradição") seria uma alusão irônica de um setor de torcedores, que durante a semana publicou em seu site um manifesto defendendo que a ausência de jogadores negros no Zenit seria um respeito às tradições do clube e que isso não significaria racismo. Inicialmente, foi reportado que a faixa usasse a palavra negro. O texto, porém, fala apenas em tradição.

Leia também:
Novo Código da Fifa permite fim de jogos em caso de racismo
Rondón sofreu com racismo e foi goleador na Inglaterra
Futebol brasileiro já tem 14 denúncias de racismo em 2019

"Não somos racistas, mas consideramos que a ausência de jogadores negros no elenco do Zenit é uma importante tradição que reforça a identidade do clube. Somos a equipe mais ao norte das grandes cidades europeias e nunca tivemos laços com a cultura da África, da América Latina ou da Oceania. Não temos nada contra os povos destes continentes, mas queremos que quem jogue no Zenit esteja alinhado com a mentalidade e o espírito do time", afirma o manifesto dos torcedores.

Malcom foi anunciado como reforço do Zenit na última sexta-feira (2). O time pagou cerca de R$ 171 milhões ao Barcelona para ter o atleta.

Veja o comunicado do Zenit na íntegra:

"O Zenit Football Club é consciente de que uma faixa foi exibida por um pequeno número de pessoas que dizia: "Obrigado dirigentes por acreditar na tradição" e que o significado desta declaração foi deturpado em várias partes da mídia, e com base nessas más interpretações, conclusões incorretas foram tiradas e não têm base na realidade.
O Zenit tem uma longa tradição de convidar os melhores jogadores de todo o mundo para o clube, independentemente do seu passado, etnia ou nacionalidade. Há muito que o clube apoia iniciativas antirracistas, inclusive de igualdade, e continuará a fazê-lo agora e no futuro.

Ao mesmo tempo, gostaríamos de expressar nosso profundo pesar de que os meios de comunicação no exterior e outros, incluindo clubes de futebol, tenham denunciado incorretamente o assunto, e esperamos que essas organizações possam verificar completamente os fatos antes de fazer quaisquer declarações depreciativas ou acusações.

O Zenit Football Club terá o prazer de convidar aqueles que comentaram a situação para assistirem a uma das nossas partidas em casa e experimentarem a hospitalidade que tão famosamente demonstramos durante a Copa do Mundo de 2018 e em outras competições e eventos internacionais."

Veja também

Novo primeiro-ministro japonês se diz "decidido" a sediar Jogos Olímpicos apesar da pandemia
Jogos Olímpicos

Novo primeiro-ministro japonês se diz "decidido" a sediar Jogos Olímpicos apesar da pandemia

STJD nega pedido do Flamengo e mantém jogo contra o Palmeiras no domingo
Futebol

STJD nega pedido do Flamengo e mantém jogo contra o Palmeiras no domingo