Política

Alcolumbre vai provar se tem blefado sobre Mendonça nesta semana, dizem colegas

A sabatina de André Mendonça para o STF está na fila há mais de 120 dias

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) - Foto: Agência Brasil

Davi Alcolumbre (DEM-AP) afirmou a amigos nas últimas horas que define nesta terça-feira (23) o que fazer sobre a sabatina de André Mendonça para o STF (Supremo Tribunal Federal), na fila há mais de 120 dias.

Segundo relatos, o senador tem dito contar com ao menos 49 votos contra o indicado de Jair Bolsonaro (sem partido) e que fará uma última checagem, pessoalmente com parlamentares. A leitura de quem ouviu a conversa é: se não agendar para a semana que vem é porque não consegue derrotar o evangélico.

No início de novembro, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) marcou para a próxima semana o chamado "esforço concentrado" para a sabatina de autoridades indicadas para cargos. Desde então, Alcolumbre segue dando sinais dúbios, dizendo a alguns que não vai pautar nunca a indicação e, ao mesmo tempo, afirmando ter votos para derrotá-lo.

O presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) tem feito campanha contra o indicado de Bolsonaro e acabou ficando em uma situação sem saída. Enquanto sofre certa pressão para agendar a sabatina também tem receio de ver Mendonça virar ministro do Supremo.

O ex-ministro também tem certeza: se a sabatina ocorrer, conseguirá os 41 votos que precisa para ser aprovado.

Veja também

Protesto no lançamento do livro de Sergio Moro no RecifeBlog da Folha

Protesto no lançamento do livro de Sergio Moro no Recife

No lançamento de livro no Recife, Sergio Moro defende combate à corrupçãoBlog da Folha

No lançamento de livro no Recife, Sergio Moro defende combate à corrupção