2º turno no Norte tem volta de clã, vitória de bolsonaristas e reeleição

Eleitores cinco dos noves estados da região foram às urnas neste domingo

Governadores eleitos no NorteGovernadores eleitos no Norte - Foto: Reprodução/Facebook

O Norte chegou ao segundo turno como a região com mais estados com segundo turno para governador. Eleitores cinco dos noves estados foram às urnas neste domingo (28) para eleger seus governadores. No Pará, o clã Barbalho voltou ao poder após 25 anos com a vitória de Helder Barbalho (MDB). Os bolsonaristas Coronel Marcos Rocha e Antonio Denarium, ambos do PSL, venceram em Rondônia e Amapá, respectivamente. No Amapá, Waldez Góes (PDT) foi reeleito.

Leia também:
Jair Bolsonaro é eleito presidente da República
Apresentador policial Wilson Lima (PSC) é eleito governador do Amazonas

Pará
Na contramão de outras dinastias políticas do país, o clã Barbalho recuperou terreno e voltará a governar o estado do Pará após um quarto de século. A façanha é de Helder Barbalho (MDB), 39, eleito neste domingo (28) com 55,43% dos votos válidos. Ele disputava com deputado estadual Márcio Miranda (DEM), que contou com o apoio do governador Simão Jatene (PSDB), e encerrou o pleito com 44,57%.

Em janeiro, o ex-ministro de Michel Temer (MDB) e de Dilma Rousseff (PT) assumirá o cargo já ocupado pelo seu pai, o senador reeleito Jader Barbalho (MDB), ao longo de dois mandatos (1983-1987 e 1991-1994). Para obter a vitória que lhe escapou em 2014, Helder contou com uma coligação de 17 partidos, incluindo o PSL, partido de Jair Bolsonaro. Além disso, obteve o apoio do PT no segundo turno.

O clã se beneficiou também do engajamento dos meios de comunicação da família, como o jornal Diário do Pará, usados para enaltecer a atuação de Helder como ministro da Integração Nacional de Temer e para atacar adversários políticos, principalmente o PSDB.

Rondônia
Com o apoio de Jair Bolsonaro, o coronel da Polícia Militar Marcos Rocha (PSL) foi eleito governador de Rondônia. Com 100% das urnas apuradas, ele alcançou 66,34% dos votos válidos, contra 33,66% de seu adversário, o tucano Expedito Junior (PSDB). A vitória veio após uma arrancada. Na semana do primeiro turno, o candidato militar saiu da quarta posição nas pesquisas, com apenas 8% das intenções de voto, e chegou ao segundo turno.

Além de ter a votação turbinada diretamente pelo fenômeno Bolsonaro, o governador eleito foi beneficiado quando o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) barrou a candidatura de Acir Gurgacz (PDT) com base na Lei da Ficha Limpa. O senador marcava 14% no Ibope antes de ser tirado do páreo, em 17 de setembro. Durante o segundo turno, Marcos Rocha impediu, por meio de uma decisão da Justiça Eleitoral, que seu adversário usasse a imagem de Bolsonaro na propaganda eleitoral.

Amapá
O atual governador do Amapá, Waldez Góes (PDT) foi reeleito neste domingo (28), com 52,35% dos votos válidos, derrotando o senador João Capiberibe (PSB), com 47,65%, com 100% das urnas apuradas. A ida de Capiberibe ao segundo turno foi ameaçada em razão de seu antigo candidato a vice, Marcos Roberto (PT). Isso porque o TSE confirmou entendimento do TRE de que o registro do diretório regional do PT no estado deveria ser suspenso em razão da não prestação de contas relativas a 2015.

Roraima
Em Roraima, o aliado de Bolsonaro Antonio Denarium (PSL) foi eleito governador com 53,57% dos votos válidos. Ele venceu Anchieta Júnior (PSDB), que teve 46,43%.

Veja também

Anvisa decide autorização emergencial para uso de vacinas
Saúde

Anvisa decide autorização emergencial para uso de vacinas

Estudantes fazem hoje primeira prova do Enem 2020
Educação

Estudantes fazem hoje primeira prova do Enem 2020