2018, ano de tristeza e indignação na cultura e morte de grandes artistas

Ano também ficou marcado pela literatura de cordel ter sido finalmente reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro

Museu Nacional abrigava o maior acervo de história natural da América LatinaMuseu Nacional abrigava o maior acervo de história natural da América Latina - Foto: Carl de Souza / AFP

O ano que termina leva consigo uma boa dose de tristeza e indignação, com cenas como a do incêndio do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, que sucumbiu a um incêndio em setembro, vendo sumir sob as chamas boa parte de seus 20 milhões de itens. Também foi um período de perdas para a Cultura, com as mortes do quadrinista Stan Lee, o pai do Homem-Aranha, e da cantora de soul norte-americana Aretha Franklin, além do estilista Givenchy. Os pernambucanos se despediram do ator e diretor José Pimentel, do diretor e pesquisador Antonio Cadengue, o vocalista da banda Torpedo Deivison Kerlls, o escultor Corbiniano Lins, o poeta Orlando Tejo, entre outros. No Brasil, o adeus à cantora Ivone Lara, à atriz Tônia Carrero, ao funkeiro Mr. Catra. 2018 também ficou marcado pela literatura de cordel ter sido finalmente reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro.

JANEIRO
Morre a cantora Dolores O'Riordan

Janeiro começou com a morte de Dolores O'Riordan, cantora do grupo irlandês Cranberries. Aos 46 anos, ela foi encontrada morta na banheira de um hotel em que estava hospedada, em Londres, no dia 15. A causa da morte foi anunciada meses depois, em setembro: afogamento depois de uma intoxicação alcoolica. Dolores estava na Inglaterra para participar de uma sessão de gravação no dia seguinte à sua morte, quando faria o vocal de uma versão da conhecida música "Zombie", interpretada pela banda de rock norte-americana Bad Wolves. Espetáculos como "A dita curva", com 10 mulheres em cena, unem teatro e música no 24º Janeiro de Grandes Espetáculos, que passa a se chamar Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco.

Dolores O'Riordan | Foto: Guillaume Souvant/AFP
Foto: Guillaume Souvant/AFP

FEVEREIRO
MC Loma faz até Neymar dançar

O mês do Carnaval ficou marcado pelo surgimento das estrelas jaboatonenses MC Loma e as Gêmeas Lacração. O grande sucesso do trio, o hit "Envolvimento", foi gravado de forma amadora e despretensiosa, mas roubou a cena Brasil afora. As meninas assinaram contrato com a gravadora Start Music e realizaram uma nova versão para o clipe, em parceria com o canal Kondzilla. O sucesso foi tanto que foi parar na França. Em vídeo postado pelo jogador Thiago Silva, do Paris Saint-German, os brasileiros Neymar, Daniel Alves e Marquinhos apareceram dançando o sucesso.

MC Loma e As Gêmeas Lacração ganharam o Brasil depois de publicar uma gravação amadora na internet | Foto: Reprodução/Facebook
MC Loma e As Gêmeas Lacração ganharam o Brasil depois de publicar uma gravação amadora na internet | Foto: Reprodução/Facebook

MARÇO
Morrem Corbiniano Lins e Tônia Carreiro 

O mês de março foi marcado, logo em seu início, por uma cerimônia do Oscar mais politizada, com referências ao protesto contra abusos sexuais, assim o reconhecimento da representatividade dos negros e das mulheres em filmes de super-heróis, como "Pantera Negra" e "Mulher Maravilha". Houve a inauguração do Complexo Cultural da Fundação Joaquim Nabuco, no Derby, com a reestruturação do cinema após três anos em reforma. Também foi um período de muito luto. No Estado, houve as mortes de Mestre Sapo - precursor da capoeira Angola em Pernambuco -, do artista plástico José Corbiniano Lins, do artista popular José Luiz Aragão da Silva - o Lula dos Estandartes - e do cenógrafo e designer Eduardo Souza. Também morreram a atriz Tônia Carrero, o produtor musica Miranda e o estilista francês Hubert de Givenchy.

 Tonia Carrero no Festival de Teatro de Curitiba em 1988 | Foto: Lenise Pinheiro/Folhapress
Tonia Carrero no Festival de Teatro de Curitiba em 1988 | Foto: Lenise Pinheiro/Folhapress

ABRIL
Pantera Negra desbanca Titanic

Abril começou com a despedida da banda O Rappa, que realizou show na capital pernambucana na companhia de Nação Zumbi e BaianaSystem. Na reabertura do Teatro Valdemar de Oliveira, foi encenada a peça "Menina Bruno", marcada por resistência, e o festival Abril Pro Rock passou por diferentes vertentes do som. A mostra "Museu do Futebol" chegou ao Cais do Sertão. Lá fora, Beyoncé conseguiu maior audiência online do Festival Coachella, e o documentário sobre impeachment de Dilma Rousseff foi premiado na Suíça. No cinema, "Pantera Negra" tira "Titanic" do pódio das maiores bilheterias após 21 anos com uma arrecadação de US$ 665,3 milhões. Faleceram nomes importantes, como Mestre Afonso, do Maracatu Leão Coroado, um dos mais tradicionais de Pernambuco e a sambista Dona Ivone Lara.

Cena do filme Pantera Negra | Foto: Divulgação
Cena do filme Pantera Negra | Divulgação

MAIO
São Luiz reabre as portas no Recife

O cenário audiovisual foi destaque, a começar pela reabertura do Cinema São Luiz, que estava fechado desde dezembro de 2017 para conserto do projetor. O diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho foi cobrado pelo Ministério da Cultura, que pediu a devolução da verba concedida para a realizaçãodo filme "O som ao redor", alegando que o longa venceu irregularmente um edital federal de 2009 para filmes de baixo orçamento. Encerrando o mês, o 22º Cine PE Festival do Audiovisual chegou ao Cinema São Luiz. Mas o festival, gratuito, teve a sua estreia adiada devido à greve dos caminhoneiros.


Fachada do Cinema São Luiz | Foto: Arthur de Souza/Folha de PernambucoFachada do Cinema São Luiz | Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

JUNHO
Teatro para crianças e protesto no Parque

Caixa Cultural abriga exposição "Armorial: Da Pedra do Reino ao Ponteio Acutilado" e outra sobre a tradição dos povos aborígenes da Austrália. Artistas se reúnem em "arraial" em frente ao Teatro do Parque para protestar contra o fechamento do teatro, em obras desde 2010. Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia distribui R$ 150 mil em prêmios. Animação "Os incríveis", sobre família com poderes de super-heróis, volta a fazer sucesso nos cinemas em sua sequência, 14 anos depois do original. Panorama do teatro para crianças: mesmo sem patrocínio, Métron Produções leva adiante a 15ª edição do Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco.

Ruy Aguiar | Foto: Rafael Furtado/Folha de PernambucoRuy Aguiar | Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

JULHO
Peça com atriz trans gera polêmica no FIG

Mês movimentado para a cultura pernambucana, julho teve dois festivais importantes - o Virtuosi, de música clássica, em Belo Jardim, e o Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), que foi também palco de polêmica envolvendo a peça "O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu", estrelada pela atriz transexual Renata Carvalho. O espetáculo sofreu censura e levou a protestos de cantores como Johnny Hooker e Daniela Mercury, causando também confusão nos meios político e religioso. Ainda em julho, a Fundação Joaquim Nabuco completou 70 anos e recebeu a doação de centenas de documentos da família do abolicionista que lhe deu nome. No dia 20, Marcelo D'Salete venceu o Eisner, o prêmio internacional mais importante da área dos quadrinhos, com seu HQ "Cumbe". A cantora Demi Lovato sofreu uma overdose no dia 24, mas foi socorrida a tempo. O mês foi de perdas, com a partida do poeta Orlando Tejo e da cantora Maria da Paz. A Livraria Cultura do Paço Alfândega, no Bairro do Recife, fechou suas portas, antes da rede nacional de livrarias entrar em recuperação judicial.

Atriz Renata Carvalho interpreta Jesus | Foto: Divulgação
Atriz Renata Carvalho interpreta Jesus | Foto: Divulgação

AGOSTO
Teatro de luto: morrem Cadengue e Pimentel

O teatro de Pernambuco perde dois de seus maiores nomes: Antonio Cadengue e José Pimentel. Pimentel foi enterrado, a seu pedido, vestido com os trajes de Jesus Cristo, personagem bíblico que desempenhou por quase 40 anos nos palcos. Também morreu Deivison Kerlls, 30, o vocalista da banda Torpedo. Enterro foi marcado por multidão e tumulto. No âmbito internacional, a música ficou de luto pela cantora Aretha Franklin, ícone do feminismo e da luta pelos direitos civis nos EUA. Também se foi o chef francês Joël Robuchon. A Fliporto - Feira Literária Internacional de Pernambuco retorna a Porto de Galinhas, após oito anos. Madonna, a diva da música pop mundial, completa 60 anos. Antonieta Trindade assume a Secretaria de Cultura do Estado, substituindo Marcelino Granja. "Masterchef", da Band, grava imagens no Recife. Cacá Diegues é eleito para vaga na Academia Brasileira de Letras, vencendo a ativista Conceição Evaristo. A italiana Laura Pausini fez seu primeiro show em Pernambuco, no Classic Hall.


José Pimentel interpretava Jesus na Paixão de Cristo há 40 anos | Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

SETEMBRO
Museu Nacional destruído por incêndio

Instituições e personalidades do mundo inteiro lamentaram a perda do Museu Nacional, no Rio de Janeiro. O espaço, que abrigava o maior acervo de história natural da América Latina, foi destruído por um incêndio de grandes proporções, na noite do dia 2. Os brasileiros também se despediram da atriz Beatriz Segall, do cantor de funk Mr. Catra e do escritor Helio Jaguaribe, membro da Academia Brasileira de Letras. Morreu o ator Burt Reynolds. Para a alegria dos nordestinos, a literatura de cordel foi finalmente reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro.


O Museu Nacional pegou fogo na noite do dia 2 de setembro | Foto: STR / AFP

OUTUBRO
Animação se espalha pela cidade no Animage

Outubro foi marcado pelo Festival Animage, que exibiu filmes de animação brasileiros e internacionais em diferentes endereços, como Praça da Várzea, Parque Santos Dumont e Parque da Macaxeira. O Crânio de Luzia, fóssil humano mais antigo do mundo, foi encontrado e era uma das esperanças da equipe do Museu Nacional. O mês também foi marcado por lançamentos de filme como "Bohemian Rapsody" e "O doutrinador". Encerrando o mês, na música, o cantor Criolo lançou clipe “Boca de Lobo” que transitou por momentos marcantes do País fazendo crítica social, já Adriana Calcanhotto trouxe a turnê “A mulher do Pau Brasil”, que estreou em terras lusitanas e depois veio ao Brasil, e Sandy levou ao Teatro Guararapes a turnê “Nós, voz, eles”, cantando músicas inéditas junto a sucessos.

Festival Animage exibiu filmes de animação | Foto: Victor Jucá/Divulgação
Festival Animage exibiu filmes de animação | Foto: Victor Jucá/Divulgação

NOVEMBRO
Um mês de festivais e da despedida de Stan Lee

Apaixonados por quadrinhos se despediram de Stan Lee, editor e roteirista responsável pela criação de personagens como Homem-Aranha e Hulk, no dia 12. Ao longo do mês, a capital pernambucana recebeu festivais de diversos gêneros, como REC'n'Play, No Ar Coquetel Molotov, Festival BB Seguros de Blues e Jazz, Mimo, Festival Recife do Teatro Nacional, Janela Internacional de Cinema e Festival de Circo do Brasil. O Bairro do Recife ficou lotado, no dia 22, com um show surpresa da cantora Marília Mendonça, que gravou cenas para o seu próximo DVD.

Stan Lee foi o responsável por criar personagens animados como Homem-Aranha e Hulk | Foto: Valerie Macon / AFP
Stan Lee foi o responsável por criar personagens animados como Homem-Aranha e Hulk | Foto: Valerie Macon / AFP

DEZEMBRO
Lei Rouanet no centro da polêmica

A atriz Fernanda Montenegro causou polêmica no dia 09, ao discursar no programa "Domingão do Faustão" sobre as acusações de que os artistas se beneficiam indevidamente da Lei Rouanet de incentivo à cultura. "Não é possível fazerem de nós os responsáveis pela derrocada econômica deste país", acusou. Vários prêmios foram anunciados em dezembro: as Filipinas ganharam o Miss Universo pela quarta vez, a cantora Duda Beat venceu o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte e a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) anunciou os selecionados de seu prêmio nacional de literatura em 2018, escolhidos entre 1.116 inscrições. A empresária Tatiana Marques foi a única pernambucana a vencer o prêmio Caio (Jacaré), nas categorias Sustentabilidade e Organização de Evento Social.

 Ao lado de Adriana Esteves e Marieta Severo, a atriz Fernanda Montenegro rebateu críticas relacionadas à Lei Rouanet | Foto: Vitor Pollak/GloboAo lado de Adriana Esteves e Marieta Severo, a atriz Fernanda Montenegro rebateu críticas relacionadas à Lei Rouanet | Foto: Vitor Pollak/Globo

Veja também

Primeiro lote com 62.250 doses da vacina da Janssen chega a Pernambuco
Coronavírus

Primeiro lote com 62.250 doses da vacina da Janssen chega a Pernambuco

Taxa de ocupação de UTIs em Pernambuco fica abaixo de 80% pela primeira vez em sete meses
Coronavírus

Taxa de ocupação de UTIs em Pernambuco fica abaixo de 80% pela primeira vez em sete meses