OPINIÃO

A ABRAJET no Conselho Nacional do MTUR

De fato, o Conselho Nacional do Turismo foi fundado em 18 de novembro de 1966. Criado para formular, coordenar e dirigir as politicas de desenvolvimento do turismo no Brasil. Era composto por apenas nove membros, sendo seis instituições públicas e três privadas. O CNT foi extinto em 1991 e o seu acervo foi transferido para o então, Instituto Brasileiro de Turismo - Embratur. Só em 2003, o órgão foi reativado com a criação efetiva do Ministério do Turismo.

O Conselho atual possui 71 membros dos quais 29 são instituições públicas, 39 entidades privadas e três são indicações do Presidente da República. Vale lembrar que o Turismo não era uma pasta autônoma. Durante muitos anos era vinculado ao Ministério da Indústria, Comércio e Turismo de 1992 a 1998 e depois, ao Ministério do Esporte e Turismo de 1999 a 2002. Sem esquecer que era praxe as analogias que se faziam ora a Educação ora a Cultura, às atividades turísticas.


A verdade, no entanto, é que desde 2003, o Ministério do Turismo é um Ministério do Estado, autônomo, reconhecido e que tem no seu Conselho Nacional o principal órgão deliberativo. Também é verdade que a ABRAJET - Associação Brasileira de Jornalista de Turismo - entidade fundada no Rio de Janeiro, em 29 de janeiro de 1957 e, portanto, com 65 anos é um dos membros do CNT. Desde o primeiro Ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia. Vale lembrar que a ABRAJET é a segunda mais antiga entidade brasileira que reúne profissionais de imprensa. Apenas a centenária ABI- Associação Brasileira de Imprensa é mais antiga do que a ABRAJET.

Numa grande e perfeita articulação do então Presidente Cláudio Magnavita, a ABRAJET tomou acento no CNT e mantem-se até hoje no Conselho do MTUR. Atuante, participando das mais diversas comissões, câmaras setoriais, elaborando propostas, programas, estudos, planos e projetos. Vigilante na participação em todas as reuniões do Conselho. Estas são frequentes, abrangentes, regulares, propositivas e reguladoras do setor.


Permito-me assim falar, imbuído do sentimento de honradez porque fui membro adjunto do Conselho na gestão do Claudio Magnavita sendo o vice-presidente da ABRAJET de2006 a 2010. Depois, eleito Diretor de Relações Institucionais da entidade, por designação do então Presidente da ABRAJET, Hélcio Estrella, no período de 2010 a 2014, fui membro do mesmo Conselho. Então, testemunhei a atuação da nossa ABRAJET não só como imprensa, formadora de opinião especializada num setor econômico da maior relevância.

O turismo envolve mais de cinquenta setores econômicos no desenvolvimento de suas atividades. Por isso, tão amplo e abrangente. Desde 2019, retornei para o Conselho Nacional do MTUR. Convidado pelo atual Presidente Nacional da ABRAJET, Evandro Novak e até o final do nosso mandato, tudo farei para dignificar o trabalho que a nossa entidade possa desenvolver no CNT da MTUR. Atentos na defesa da Política Nacional do Turismo.

O Turismo é primordial para a atividade econômica do Brasil, gerando emprego, distribuindo renda, com modelos participativo de desenvolvimento e inclusão social. Permitindo uma visão democrática da nossa população nos mais diversos equipamentos. Seguindo a OMT - Organização Mundial do Turismo que dimensiona a presença e a importância da atividade turística, trabalhando todos os destinos, mundialmente e atestando o nível da empregabilidade do setor em todo o nosso planeta. 


                O que de fato permita-me, meu prezado leitor, confidenciar com certo orgulho, é que nos 65 anos da ABRAJET sou o único pernambucano que ocupou a Presidência da ABRAJET, no biênio 1999/2000.

 

*Empresário e jornalista
([email protected])

 

- Os artigos publicados nesta seção não refletem necessariamente a opinião do jornal. Os textos para este espaço devem ser enviados para o e-mail [email protected] e passam por uma curadoria para possível publicação.

Veja também

Petroleiros venezuelanos exigem inclusão em leilão de subsidiária da PDVSA nos EUA
Mundo

Petroleiros venezuelanos exigem inclusão em leilão de subsidiária da PDVSA nos EUA

China anuncia meta de crescimento econômico de 5% para 2024, segundo informe de trabalho
Economia

China anuncia meta de crescimento econômico de 5% para 2024, segundo informe de trabalho