À beira do colapso por coronavírus, Amazonas tem 95% de ocupação de UTIs e respiradores

Nesta terça, o Amazonas contabilizou 104 novos casos confirmados, chegando a 636 infectados pelo Sars-CoV-2, com 23 óbitos

Testes de Covid-19Testes de Covid-19 - Foto: Miguel MEDINA / AFP

Com pouco mais de cem casos novos de Covid-19 a cada dia, o Amazonas está com 95% dos seus leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e respiradores da rede pública ocupados, admitiu na terça-feira (7) o governo estadual. Na avaliação do Ministério da Saúde, o Amazonas é um dos quatro estados com indícios de transição para a fase de aceleração descontrolada de casos, ao lado de Ceará, São Paulo e Rio de Janeiro, além do Distrito Federal.

"A taxa de ocupação de 95% [das UTIs] está também correlacionada com o número de respiradores", disse a chefe do departamento de Ações de Saúde da Secretaria de Saúde (Susam), Nayara Maksoud, em entrevista à imprensa. Nesta terça, o Amazonas contabilizou 104 novos casos confirmados, chegando a 636 infectados pelo Sars-CoV-2, com 23 óbitos. Há 256 pacientes com Covid-19 internados nas redes privada e pública, tanto em leitos clínicos quanto de UTI, o que representa 40% de todos os casos.

Os novos registros da terça-feira incluem três indígenas da etnia kokama, em Santo Antônio do Içá, município na calha do rio Solimões. Já havia um caso de indígena confirmado na região. A origem do foco é um médico branco da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena).

Nas UTIs públicas de Manaus, a única cidade com esse recurso no Amazonas, há 18 internados confirmados com o novo coronavírus e outros 41 suspeitos e com quadro de síndrome respiratória aguda grave. Todos precisam de respirador. "Alguns desses suspeitos em UTI podem estar com algum desses vírus [Influenza e outros], o que não torna a situação menos grave. Temos leitos de UTI sendo utilizados por esses pacientes, o que pode dificultar a internação em UTIs por pacientes com Covid-19", afirmou a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Rosemary Costa Pinto, na mesma entrevista.

Na rede pública de Manaus, há 106 respiradores espalhados por quatro unidades hospitalares, segundo o governo estadual. No estado, contam-se ao todo 500 aparelhos do tipo nas redes privada e estadual, segundo o governo estadual.
Procurado, o governo do Amazonas não explicou qual é a correlação entre o número de leitos de UTI e de respiradores.

Em entrevista à Rede Amazônica, afiliada da TV Globo, o governador Wilson Lima (PSC) disse nesta terça que "temos fôlego para mais uma semana". Para evitar o colapso, o governo está preparando um segundo hospital em Manaus para atender casos de Covid-19. A previsão é de começar a receber pacientes dentro de dez dias.
Na semana passada, o governo instalou dois contêineres frigoríficos para armazenar corpos no hospital Delphina Aziz, a unidade de referência para Covid-19 no Amazonas.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

País regrediu 20 anos na educação com pandemia, diz secretário
Educação

País regrediu 20 anos na educação com pandemia, diz secretário

Grupo suspeito de furtar caixas eletrônicos em Maceió é detido no Grande Recife
FLAGRANTE

Grupo suspeito de furtar caixas eletrônicos em Maceió é detido no Grande Recife