A excelência na prevenção de doenças e tratamento

Brasil tem cerca de 1,2 milhão de pessoas cegas - desse número, 350 casos de cegueira são causados pela catarata

HopeHope - Foto: Thiago Britto/Folha de Pernambuco

O Brasil tem, atualmente, cerca de 1,2 milhão de pessoas cegas de acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Para evitar o crescimento desse número, foi criado o Abril Marrom. O período alerta para as doenças que podem levar à cegueira, incentivando o tratamento e a prevenção. A cor marrom foi a escolhida por ser a mais comum das retinas dos brasileiros. Dentre os alertas da causa, a catarata é o principal alvo, por ter o maior número de casos de cegueira no Brasil. No País, estima-se que existam 350 mil cegos pela doença.

Especialista em retina no Hospital de Olhos de Pernambuco (Hope), o médico Vasco Bravo Filho destaca a importância da campanha do Abril Marrom. “Sabemos que a perda da visão tem um impacto social e um impacto na qualidade de vida muito grandes. Então a ideia é sensibilizar a população para que elas possam ir regularmente ao médico cuidar da visão”, afirma.

“O que leva a cegueira em oftalmologia é pura e simplesmente a não-ida ao oftalmologista, porque hoje em dia muitas das doenças existentes são preveníveis”, explica o médico. Em casos crônicos, existem tratamentos que podem atenuar a progressão de doenças como a retinopatia diabética. Ela danifica os vasos sanguíneos dentro da retina por conta do excesso de glicose. Porém com os avanços e tratamentos em locais como o Hope, a perspectiva de bons resultados aumenta.

Segundo Vasco, o hospital que é referência no tratamento de catarata congênita, também faz campanhas internas e externas, incentivando as pessoas a procurarem o seu médico oftalmologista regularmente. Além disso, existem novas e modernas ferramentas que auxiliam no tratamento.

Uma delas é a tomografia de coerência óptica (OCT), que faz estudos dos vasos sanguíneos através de angiografia sem injetar contraste. Outro aliado no tratamento e prevenção da cegueira é o biômetro de coerência óptica, que vai ajudar no cálculo das lentes de introvisão, utilizadas na cirurgia de catarata, fazendo com que consigam resultados melhores e que diminuem a necessidade de óculos.

Cuidados na infância
Quanto mais cedo se cuida, melhor para o futuro. De acordo com a Agência Internacional de Prevenção de Cegueira, ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que 29 mil crianças são cegas por doenças oculares que poderiam ter sido evitadas ou tratadas precocemente e que pelo menos 100 mil têm alguma deficiência visual.

Vasco alerta para os cuidados preventivos com a visão principalmente em crianças. Problemas como catarata congênita e tumores podem aparecer a partir dos quatro meses de idade. Por isso, o médico fala sobre a importância dos testes, e alerta aos pais para que façam o acompanhamento dos filhos. “Desde a infância a criança tem que fazer o Teste do Olhinho para detectar esses problemas. Não é só uma questão de visão, mas também de vida”, diz. Algumas cidades brasileiras já têm legislação que exige a realização do teste em todos os recém-nascidos antes de sua alta.

Automedicação
Neste Abril Marrom, é importante também alertar para os riscos da automedicação. Apesar de ser de uso comum dos brasileiros, o colírio só pode ser utilizado mediante prescrição médica. Portanto, ao sinal de desconforto ou algum problema, a recomendação é se dirigir a uma avaliação médica.

Ainda sim, durante o dia a dia, é importante cuidar e prevenir. Cuidados simples como, não coçar os olhos, não usar óculos de sol sem proteção adequada e evitar ficar longos períodos na tela do computador, são importantes

Veja também

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil
VACINAÇÃO

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo
VACINAÇÃO

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo